Autor Tópico: O fim da rádio local  (Lida 6580 vezes)

augusto neto

  • Sr. Member
  • ****
  • Mensagens: 130
O fim da rádio local
« em: Novembro 04, 2016, 01:30:02 am »
Aqui fica o panorama das rádios locais que ainda o são versus as que são meros retransmissores nos concelhos à volta de Lisboa (inclusivé).

Almada - 97,8 - Retransmissor MnC / 100.8 - Retransmissor MnC
Amadora - 93.7 -  Local, sem animação e em emissão automática / 107.2 - Retransmissor MCR
Barreiro - 96.2 - Não se sabe se vai ser retransmissor do Grupo Canal 5 / 103.0 - Retransmissor MCR
Cascais - 98.1 - Retransmissor MnC / 105.4 - Local, sem animação
Lisboa - 89.5 - Retransmissor da RádioPress / 90.4 - Retransmissor MnC / 91.6 - Retransmissor MCR / 92.4 - Retransmissor R/com
/ 96.6 - Retransmissor MCR
Loures - 92.0 - Retransmissor MnC / 92.8 - Local / 101.9 - Local, sem animação
Moita - 95.3 - Local, estúdio fora do concelho (Loures) / 101.1 - Retransmissor MCR
Montijo - 90.9 - Local, estúdio fora do concelho (Pinhal Novo) / 106.2 - Retransmissor MCR
Oeiras - 95.0 - Retransmissor IURD / 102.6 - Retransmissor MnC
Palmela - 102.2 - Retransmissor R/com
Seixal - 87.6 - Local / 98.7 - Local
Setúbal - 88.6 - Local / 98.9 - Retransmissor MnC / 100.6 - Retransmissor MnC
Sintra - 88.0 - Retransmissor R/com / 91.2 - Local, Igreja Adventista / 107.7 - Retransmissor IURD

MnC - 8 rádios locais
MCR - 6 rádios locais
R/com - 3 rádios locais
IURD - 2 rádios locais
Rádio Press - 1 rádio local
Canal 5 - 1 rádio local (por confirmar a retransmissão)
Total de 20 rádios locais transformadas em retransmissores (e mais 1 por confirmar).

Não vou tecer considerações pois os factos estão à vista e são esclarecedores!
« Última modificação: Dezembro 27, 2023, 11:25:23 pm por AG »

Radiofilo

  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 449
Re: O fim da rádio local
« Responder #1 em: Novembro 04, 2016, 01:41:08 am »
Aqui fica o panorama das rádios locais que ainda o são versus as que são meros retransmissores nos concelhos à volta de Lisboa (inclusivé).

Almada - 97,8 - Retransmissor MnC / 100.8 - Retransmissor MnC
Amadora - 93.7 -  Local em emissão automática, Tojal (ligado à Renascença) / 107.2 - Retransmissor MCR
Barreiro - 96.2 - Não se sabe se vai ser retransmissor do Grupo Canal 5 / 103.0 - Retransmissor MCR
Cascais - 98.1 - Retransmissor da MCR / 105.4 Local, sem animadores
Lisboa - 89.5 - Retransmissor da RádioPress / 90.4 - Retransmissor MnC / 91.6 - Retransmissor MCR / 92.4 Retransmissor R/com /
96.6 - Retransmissor MCR
Loures - 92.0 Retransmissor MnC / 92.8 Local / 101.9 Local sem animadores
Moita - 95.3 - Rádio Local, estúdio fora do concelho / 101.1 Retransmissor MCR
Montijo - 90.9 (Pinhal Novo) Local / 106.2 Retransmissor MCR
Oeiras - 95.0 - Retransmissor IURD / 102.6 Retransmissor MnC
Palmela - 102.2 - Retransmissor R/com
Seixal - 87.6 - Local / 98.7 - Local
Setúbal - 88.6 - Local / 98.9 - Retransmissor MnC / 100.6 - Retransmissor MnC
Sintra - 88.0 - Retransmissor R/com / 91.2 Local Igreja Adventista / 107.7 Retransmissor IURD

MCR - 7 rádios locais
MnC - 7 rádios locais
R/com - 3 rádios locais
IURD - 2 rádios locais
Rádio Press - 1 rádio local
Canal 5 - 1 rádio local (por confirmar a retransmissão)
Total de 20 rádios locais transformadas em retransmissores (e mais 1 por confirmar).

Não vou tecer considerações pois os factos estão à vista e são esclarecedores!

98.1, Cascais (Radio Marginal), retransmissor MCR?

95.0, Oeiras (Kiss FM), retransmissor IURD?

augusto neto

  • Sr. Member
  • ****
  • Mensagens: 130
Re: O fim da rádio local
« Responder #2 em: Novembro 04, 2016, 01:50:53 am »
Sim estou a cair de sono e escapou-me a Marginal. Já está corrigido.
E sim a Kiss FM é propriedade da IURD através da Global Difusion SGPS e os 95.0 FM de Oeiras retransmitem a Kiss FM Algarve.

364m

  • Full Member
  • ***
  • Mensagens: 110
Re: O fim da rádio local
« Responder #3 em: Novembro 04, 2016, 11:48:09 am »


Montijo - 90.9 (Pinhal Novo) Local / 106.2 Retransmissor MCR



Pinhal Novo é concelho de Palmela

augusto neto

  • Sr. Member
  • ****
  • Mensagens: 130
Re: O fim da rádio local
« Responder #4 em: Novembro 04, 2016, 12:09:53 pm »
A ver se nos entendemos de forma a que se entenda a lista.
Sempre que eu tenha conhecimento que o estúdio duma rádio local não está no concelho da licença atribuída é mencionado logo a seguir à frequência. Só não é mencionado se o estúdio estiver dentro do município ou se for um retransmissor.
Vou editando a lista de forma a ficar o mais simples e claro possível e se alguém souber de estúdios fora do concelho ou se a rádio está em "piloto" automático ou outras informações que ajudem a compreender melhor a situação eu agradeço a colaboração.
« Última modificação: Novembro 04, 2016, 12:30:46 pm por augusto neto »

AG

  • Global Moderator
  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 2593
  • NSTALGIA
Re: O fim da rádio local
« Responder #5 em: Novembro 04, 2016, 12:39:05 pm »
Atribuíram 3 frequências para o município de Loures em 1988? Nossa senhora...

augusto neto

  • Sr. Member
  • ****
  • Mensagens: 130
Re: O fim da rádio local
« Responder #6 em: Novembro 04, 2016, 01:10:07 pm »
O concelho de Loures na altura tinha cerca de 453 mil habitantes.
Setúbal com apenas 103 mil também levou 3 licenças.
Isto sim foi o princípio do fim das rádios locais em Portugal.
Deviam ter sido atribuídas frequências tendo em conta o número de habitantes e nunca a "importância" geográfica como serem capitais de distrito ou importância política.
Por exemplo. O concelho de Lisboa na altura tinha cerca de 633 mil habitantes. O do Porto nem metade, 302 mil.
E foram atribuídas 6 licenças a cada uma.
Isto não teve, não tem nem terá alguma vez lógica absolutamente nenhuma.
E isto explica a génese das rádios locais terem começado a desaparecer e a serem transformadas em retransmissores de redes.

guest6

  • Visitante
Re: O fim da rádio local
« Responder #7 em: Novembro 04, 2016, 01:38:20 pm »
O concelho de Loures na altura tinha cerca de 453 mil habitantes.
Setúbal com apenas 103 mil também levou 3 licenças.
Isto sim foi o princípio do fim das rádios locais em Portugal.
Deviam ter sido atribuídas frequências tendo em conta o número de habitantes e nunca a "importância" geográfica como serem capitais de distrito ou importância política.
Por exemplo. O concelho de Lisboa na altura tinha cerca de 633 mil habitantes. O do Porto nem metade, 302 mil.
E foram atribuídas 6 licenças a cada uma.
Isto não teve, não tem nem terá alguma vez lógica absolutamente nenhuma.
E isto explica a génese das rádios locais terem começado a desaparecer e a serem transformadas em retransmissores de redes.

Caro sr. Augusto, deixe me corrigir o seguinte:
O Porto em 1987 não teve 6 frequências atribuídas, mas sim 5, a saber: 90.0 (R.Activa) ; 91.5 (R,Press); 94.8(R.Festival) ; 95.5 (R.Placard); 98.9 (R.Nova). No grande Porto apenas Gaia teve 3 frequências: 101.2 (R.Nova Era, depois passou para 101.3); 102 (R.Minuto) e 107.2 (R.Saturno).

augusto neto

  • Sr. Member
  • ****
  • Mensagens: 130
Re: O fim da rádio local
« Responder #8 em: Novembro 04, 2016, 01:52:30 pm »
Caro sr. Augusto, deixe me corrigir o seguinte:
O Porto em 1987 não teve 6 frequências atribuídas, mas sim 5, a saber: 90.0 (R.Activa) ; 91.5 (R,Press); 94.8(R.Festival) ; 95.5 (R.Placard); 98.9 (R.Nova). No grande Porto apenas Gaia teve 3 frequências: 101.2 (R.Nova Era, depois passou para 101.3); 102 (R.Minuto) e 107.2 (R.Saturno).

Agradeço sempre correcções em prol dos factos.
Agora pensemos o seguinte.
Que lógica tem, Loures na altura com cerca de 453 mil habitantes ter levado 3 licenças, Porto com 302 mil levado 5 e Vila Nova de Gaia apenas com menos cerca de 50 mil habitantes ter levado 3?
Esta distribuição política e com um aumento desproporcional de licenças, não tendo em conta a densidade populacional foi o princípio do fim desta história toda das rádios locais em Portugal.

guest6

  • Visitante
Re: O fim da rádio local
« Responder #9 em: Novembro 04, 2016, 02:07:28 pm »
Agradeço sempre correcções em prol dos factos.
Agora pensemos o seguinte.
Que lógica tem, Loures na altura com cerca de 453 mil habitantes ter levado 3 licenças, Porto com 302 mil levado 5 e Vila Nova de Gaia apenas com menos cerca de 50 mil habitantes ter levado 3?
Esta distribuição política e com um aumento desproporcional de licenças, não tendo em conta a densidade populacional foi o princípio do fim desta história toda das rádios locais em Portugal.

É facto que foram atribuídas demasiadas frequências em TODO o lado.

Mas volto a ter que o corrigir: Gaia, nem de longe nem de perto, tinha 50 mil habitantes. Tinha 157 mil em 1960, e em 2011 estava nos 302 mil.
Loures NUNCA teve 453 mil. Tinha 102 mil em 1960 e 205 mil em 2011.

Pode consultar dados no site da "Pordata", que eu acho ser de fiabilidade inquestionável.

Fonte: http://www.pordata.pt/Municipios/Popula%C3%A7%C3%A3o+residente+segundo+os+Censos+total+e+por+grandes+grupos+et%C3%A1rios-22 

Cumprimentos

AG

  • Global Moderator
  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 2593
  • NSTALGIA
Re: O fim da rádio local
« Responder #10 em: Novembro 04, 2016, 02:22:06 pm »
Para não haver dúvidas, o Mapa de Frequências do Concurso de 1988 (e não 1987, Abílio):
http://www.gmcs.pt/ficheiros/pt/despacho-n-8688-mapa-de-frequencias-do-concurso-pubico-de-1988-para-atribuicao-de-alvaras-a-radios-locais.pdf

População do município de Lisboa em 1991 (ano mais próximo de que há dados fiáveis): 663 394 (6 frequências)
População do município de Porto: 302 472 (5 frequências)   
População de município de Vila Nova de Gaia: 248 565 (3 frequências)
População do município de Loures:   322 158 (3 frequências)

augusto neto

  • Sr. Member
  • ****
  • Mensagens: 130
Re: O fim da rádio local
« Responder #11 em: Novembro 04, 2016, 02:24:57 pm »
Pensava ter sido claro mas não me devo ter feito entender.
Quando disse que Vila Nova de Gaia tinha apenas menos de cerca de 50 mil habitantes era obviamente em relação ao Porto.
Na altura Gaia tinha cerca de 249 mil habitantes.
Loures em 1991 tinha cerca de 453 mil habitantes porque Odivelas na altura fazia parte do concelho.
Loures 322 158 + Odivelas 130 015 = 452 173 habitantes.
E se não se importar eu utilizo dados dos Censos.
Já vi que gosta de corrigir, espero então que também goste de aprender.
Não nos percamos no pormenor e foquemo-nos no essencial.

guest6

  • Visitante
Re: O fim da rádio local
« Responder #12 em: Novembro 04, 2016, 02:42:21 pm »
Caro Augusto, assumo que fiz uma leitura errada do seu escrito, peço desculpa.
E caro AG estava na ideia que era 1987, e realmente tem razão é 88. Errar é humano, os irracionais não os assumem...  :-[ 

ZECA

  • Sr. Member
  • ****
  • Mensagens: 209
Re: O fim da rádio local
« Responder #13 em: Novembro 04, 2016, 09:48:37 pm »
O concelho de Loures na altura tinha cerca de 453 mil habitantes.
Setúbal com apenas 103 mil também levou 3 licenças.
Isto sim foi o princípio do fim das rádios locais em Portugal.
Deviam ter sido atribuídas frequências tendo em conta o número de habitantes e nunca a "importância" geográfica como serem capitais de distrito ou importância política.
Por exemplo. O concelho de Lisboa na altura tinha cerca de 633 mil habitantes. O do Porto nem metade, 302 mil.
E foram atribuídas 6 licenças a cada uma.
Isto não teve, não tem nem terá alguma vez lógica absolutamente nenhuma.
E isto explica a génese das rádios locais terem começado a desaparecer e a serem transformadas em retransmissores de redes.

Caro sr. Augusto, deixe me corrigir o seguinte:
O Porto em 1987 não teve 6 frequências atribuídas, mas sim 5, a saber: 90.0 (R.Activa) ; 91.5 (R,Press); 94.8(R.Festival) ; 95.5 (R.Placard); 98.9 (R.Nova). No grande Porto apenas Gaia teve 3 frequências: 101.2 (R.Nova Era, depois passou para 101.3); 102 (R.Minuto) e 107.2 (R.Saturno).
Gaia nunca teve uma Rádio Saturno.
Gaia teve a Rádio Satélite, bem junto à CM de Gaia

AG

  • Global Moderator
  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 2593
  • NSTALGIA
Re: O fim da rádio local
« Responder #14 em: Novembro 04, 2016, 10:40:39 pm »
Não era a Rádio Clube de Gaia, que agora é a Rádío Placard (segunda vida) nos mesmos 95,5 MHz, desde 2005 ou 2006?

http://www.gmcs.pt/ficheiros/pt/despacho-conjunto-de-23-03-1989-atribuicao-de-alvaras-a-radios-locais.pdf