Autor Tópico: Rádio Observador - frequências possíveis para cobertura da região Centro  (Lida 11927 vezes)

estvmkt

  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 2225
Re: Rádio Observador - frequências possíveis para cobertura da região Centro
« Responder #15 em: Novembro 13, 2022, 09:26:17 pm »
A Lafoes Fm bem otimizada se nao fosse Observador acentaria que nem uma luva na Smooth.
Reativando o emissor nos 95.4 que está desativo creio que ajudaria no Porto.

pdnf

  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 5458
  • Foi a Rádio que fez Abril!
Re: Rádio Observador - frequências possíveis para cobertura da região Centro
« Responder #16 em: Novembro 13, 2022, 10:27:42 pm »
Constato, com perplexidade, que o caro “pdnf” ouve essa mega coisa, limitada, pirosa, enfim, um atentado à inteligência. Com a sua formação pessoal e académica, como tal é possível? Dali não extrai nada, não acrescenta nada, trata-se de mera perda de tempo. Agora, neste mundo de desinformação, acrescente uma camada de superficialidade, e deduza o que se obtém dali. “Malta” totalmente alheada do que se passa à sua volta e presas fáceis para discursos incendiários, caem que nem tordos.

Indo direto ao que importa, na atual rede da Mega, 92.6 não consegue fazer ligação com os 90.0 Coimbra e, repito, dificilmente a Observador arranja um emissor de 5Kw no distrito, portanto, achar que são uma boa alternativa, quando há na A8 pelo menos uns 30 km sem sinal e outros tantos na A1. Dito de outro modo, é um emissor que, a meu ver, nem para a própria Mega é particularmente interessante, quanto mais para a Observador.

Quanto aos considerandos que faz, vou-lhe responder com as rádios que escutei hoje: somente Smooth FM e Antena 2. Ontem ouvi em caminhada a Antena 1 num excepcional programa conduzido por Augusto Fernandes, e a TSF de manhã. Lamento profundamente que, por exemplo, em minha casa em Gaia, não consiga escutar a Smooth em 89.5, sim um emissor do concelho de Matosinhos, e mesmo no meu escritório no Norte do Porto, na fronteira com o município do alvará, tenha tremendas dificuldades de sintonização no interior. Em Espinho Smooth é uma miragem. Queria eu uma rede melhor para essa rádio, por isso aqui já defendi a alocação dos 101.0 Vale de Cambra à Smooth. É uma crítica injustificada.
Portanto, quando critica as minhas escolhas de estação, e sem querer parecer snob, diga-me: quantos jovens de 31 anos acha que consomem o tipo de rádio que eu consumo? Desde já lhe digo, poucos e até mais velhos. Os estudos de audiência não mentem.

Não obstante, não quero com isto dizer que não goste de ouvir o que faz a "malta" da minha geração em rádio, tanto na Mega como na Cidade FM. joão_s não se esqueça, os jovens são o futuro. Se os projetos em que estão são os mais aliciantes? Claro que não. Se a música que passa nas duas estações (particularmente na Cidade) é a melhor do mundo? Há de tudo, muito má, alguma mediana, outra que dentro de alguns anos vai ouvir em covers na Smooth. É como na farmácia, são rádios mais transversais, menos de nicho. Se há alguns animadores por lá absolutamente plásticos, sem qualquer qualidade para estarem em frente a um microfone? Também é verdade. Se os que dão os saltos para "as grandes" são sempre os melhores? Infelizmente, não. Mas mais uma vez, são produtos necessários. Como refere o R4, é importante existirem rádios com que os jovens se identifiquem. Caso contrário, de hoje para amanhã, é o meio que perde ouvintes. São uma boa porta de entrada e, não se preocupe... um dia a curiosidade de sintonizar outras paragens mais cultas e adutlas há de surgir.

Ingénuos, a viver num mundo “faz de conta”, endrominados por pseudo-vedetas da net e da rádio, que os usam. Parece uma realidade distópica saída de um livro de Orwell.

Apesar do que escrevi acima, aqui tenho de lhe dar alguma razão. Infelizmente, a rádio tem ido demasiadamente atrás dessas vedetas, e fico genuinamente triste quando vejo pessoas que têm verdadeira paixão pelo meio a terem de "se vender" no Instagram para: 1. não ficarem para trás e encostados; 2. obterem um rendimento decente; 3. conseguirem ter alguma progressão na sua carreira, rumo a projetos mais decentes.

Admiro muito quem ainda luta "à moda antiga", pelo talento. E sim, tem nas jovens ainda quem o faça. Infelizmente, verá que não são os mais valorizados.

A Lafoes com emissor optimizado chega ao Porto e faz as vezes dos 88.1 para norte.

Trocar os excepcionais 88.1, numa frequência que respira bem, porque a Antena 2 de Braga/Minhéu é relativamente fraca, essencial no Porto e Gaia, por uma Lafões que se escuta em Sá da Bandeira e pouco mais,  absolutamente pressionada pela Mega de Braga e até pela M80 de Leiria, que nunca chega com RDS sequer, é trocar vinho do bom, por água da torneira.
Rádio é:
Ir ao fim da Rua, a ligar Portugal, aconteça o que acontecer.
Mais música nova para sentir (e decidir).
Estar no carro, em casa, em todo o lado, só se quiseres.
Saber que se a vida tem uma música, ela passa-a.
É a arte que toca, mais do que música...PESSOAS. Ah, and all that "unique" soul.

AG

  • Global Moderator
  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 2730
  • NSTALGIA
Re: Rádio Observador - frequências possíveis para cobertura da região Centro
« Responder #17 em: Novembro 13, 2022, 10:51:12 pm »
Portanto, uma boa (hipotética) solução para todas as partes consiste em reunir condições para negociação entre a Rádio Observador e a r/com, de forma a que a primeira adquira o emissor de 92.6 Rio Maior para esse desiderato, sincronizado com RDS-AF 24/7/365.
A Rádio Maior Lda., proprietária da actual Mega Hits Rio Maior, é detida por António Alexandre Antunes e Laurinda de Jesus Alexandre Lopes, cada um com 50% da sociedade. Portanto, a r/com está como "arrendatária" da frequência.

joao_s

  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 872
Re: Rádio Observador - frequências possíveis para cobertura da região Centro
« Responder #18 em: Novembro 13, 2022, 11:10:16 pm »
Bem, “pdnf”, que outro emissor conhece que faça a transição com 93.7 e 98.7 e a partir daí coloque sinal até Minde, na subida depois das portagens de Torres Novas da A1? As soluções que aponta não resolvem o problema da transição com Lisboa. Quem lhe disse que esse emissor não coloca sinal na região Oeste? Está a desvalorizar o desempenho do emissor. Por outro lado, não temos dados para saber se é possível elevar ainda mais a cota do mesmo, de forma a melhorar o sinal para norte de Minde.

Depois da simpática e subtil publicação do “R4”, estava a antever que a sua reação seria essa. Não está em causa o relevante papel dos jovens, e que o futuro lhes pertence, a bem de todos nós. O que está em causa é forma como são tratados pelos média, que infantilizam esta camada etária, não está correto. São planos completamente diferentes daqueles que aponta assertivamente. Quem lhe disse que não são valorizados pela minha geração (dos Pais), nos hábitos e no que se identificam enquanto ciadadãos, está enganado. Com 31 anos não é jovem, é adulto. Muitos já são Pais com a sua idade, outros estão a construir o seu projeto de vida, estabilidade e casamento (não entre em detalhes pessoais num fórum, ninguém tem nada a ver com isso).

O que o "R4" não referiu, é que o Programa 4(?), que antecedeu o "FM Estéreo da Rádio Comercial"(?) não tratava o público-alvo como crianças.

AG

  • Global Moderator
  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 2730
  • NSTALGIA
Re: Rádio Observador - frequências possíveis para cobertura da região Centro
« Responder #19 em: Novembro 13, 2022, 11:12:19 pm »
Trocar os excepcionais 88.1, numa frequência que respira bem, porque a Antena 2 de Braga/Minhéu é relativamente fraca, essencial no Porto e Gaia, por uma Lafões que se escuta em Sá da Bandeira e pouco mais,  absolutamente pressionada pela Mega de Braga e até pela M80 de Leiria, que nunca chega com RDS sequer, é trocar vinho do bom, por água da torneira.
Não era tão mal pensado quanto se parece: há uns 15 anos ouvia-se na perfeição em Aveiro quer a frequência principal (93,0) quer a microcobertura (95,4), no Porto penso que 93,0 conseguiria alcançar a cidade. Mas nesse caso julgo que seria pertinente para a ROBS conseguir um emissor do distrito de Braga que chegasse bem à cidade invicta. Lá se vai o número mágico das "seis" frequências...

Uma frequência que seria mais interessante para a ROBS: 93,4 da Rádio São Miguel, de Penela. Chega bem a Coimbra e a Aveiro. Penso que num bom autorádio conseguiria comutar com 99,5 a partir de Leiria.

pdnf

  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 5458
  • Foi a Rádio que fez Abril!
Re: Rádio Observador - frequências possíveis para cobertura da região Centro
« Responder #20 em: Novembro 14, 2022, 12:43:56 am »
Bem, “pdnf”, que outro emissor conhece que faça a transição com 93.7 e 98.7 e a partir daí coloque sinal até Minde, na subida depois das portagens de Torres Novas da A1? As soluções que aponta não resolvem o problema da transição com Lisboa. Quem lhe disse que esse emissor não coloca sinal na região Oeste? Está a desvalorizar o desempenho do emissor. Por outro lado, não temos dados para saber se é possível elevar ainda mais a cota do mesmo, de forma a melhorar o sinal para norte de Minde.

Depois da simpática e subtil publicação do “R4”, estava a antever que a sua reação seria essa. Não está em causa o relevante papel dos jovens, e que o futuro lhes pertence, a bem de todos nós. O que está em causa é forma como são tratados pelos média, que infantilizam esta camada etária, não está correto. São planos completamente diferentes daqueles que aponta assertivamente. Quem lhe disse que não são valorizados pela minha geração (dos Pais), nos hábitos e no que se identificam enquanto ciadadãos, está enganado. Com 31 anos não é jovem, é adulto. Muitos já são Pais com a sua idade, outros estão a construir o seu projeto de vida, estabilidade e casamento (não entre em detalhes pessoais num fórum, ninguém tem nada a ver com isso).

O que o "R4" não referiu, é que o Programa 4(?), que antecedeu o "FM Estéreo da Rádio Comercial"(?) não tratava o público-alvo como crianças.

Começando pelo final, é-se adulto desde os 18 anos, como se é adulto aos 80. Tipicamente, em Portugal, tem-se vindo a considerar como jovem a faixa etária que medeia entre os 18-35 anos, até para efeitos, por exemplo, de política fiscal (veja-se o exemplo do Programa Porta 65, mas há outros). Também os seniores hoje já são considerados muito para lá dos 65 de outrora.
Dizer a minha idade, penso que não seja um dado pessoal muito relevante, mas agradeço o reparo. Porque de resto, não sabe nada da minha condição, nomeadamente se sou casado ou tenho filhos.

Quanto à pergunta que me fez, resposta simples: 88.1 da Benedita, por exemplo, sem margem para dúvidas assegura a transição para o emissor necessário para a região de Coimbra, que pode bem ser a S. Miguel, perfazendo os míticos 6, e permitindo escuta entre Lisboa e Porto. Chega a Santarém e tem o bónus de se ouvir em Leiria. Não está aqui em causa o mérito da estação ou não, falamos, isso sim, da capacidade que o emissor tem de ligar a Norte e 92.6 não tem, já foi aqui escrito várias vezes.

@AG mas então teriam de melhorar substancialmente o centro emissor da Lafões, porque atualmente, o sinal no Porto é mesmo muito fraco e é necessário um complemento aos 98,4 de Vila do Conde. Para Norte, só via duas alternativas viáveis em Braga (FAMA ou Cidade Hoje, preferível a ultima), no distrito de Viana do Castelo a Barca ou a ROL, que ambas se fazem ouvir bem na generalidade da Invicta e mais para sul até.
Rádio é:
Ir ao fim da Rua, a ligar Portugal, aconteça o que acontecer.
Mais música nova para sentir (e decidir).
Estar no carro, em casa, em todo o lado, só se quiseres.
Saber que se a vida tem uma música, ela passa-a.
É a arte que toca, mais do que música...PESSOAS. Ah, and all that "unique" soul.

Memorias da Radio

  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 3075
Re: Rádio Observador - frequências possíveis para cobertura da região Centro
« Responder #21 em: Novembro 14, 2022, 01:23:38 am »
Temos aqui várias notas que me ocorreram a ler as vossas respostas:

- Se a RR esta arrendatária dos 92.6 FM de Rio Maior, diria ser virtualmente impossível a Rádio Observador chegar a essa frequência. A lógica é simples: o projeto da Mega tem mais orçamento, mais dinheiro e seguramente terá um valor de renda mais alto do que o que a Observador poderia alcançar… e que alcançasse, a RR poderia ainda talvez aumentar. É literalmente o responsável por 2 redes nacionais - não é um emissor menor de 500w em Rio Maior que faria subir as contas.

- Eu diria que para Aveiro a frequência já não mexe. Idem aspas no Porto. Ambas são arrendadas ao Acácio Marinho de projetos moribundos, ambas cumprem a pretensão da Observador de cobrir o máximo de território com o menor número de emissores possível.

- Ao contrário, as duas de Lisboa têm margem de progressão. Em particular a do Seixal voltar a ser colocada no centro do Seixal é absolutamente vital para que o sinal da Observador chegue, pelo menos, até ao Cartaxo e possa fazer uma comutação limpa com o que quer que esteja para lá disso no Ribatejo. A da Amadora, em Sintra, teria menos ganhos na frequência atual mas possibilitaria uma troca limpa com algo no Montejunto ou já da região Oeste, por exemplo, colocando pressão sobre a On FM a sul e dando duas alternativas de escuta aos ouvintes do Oeste, duas frequências. Isto é o que se pode esticar.

- Não se pode ter tudo. Se fizer o que falta de Aveiro, Coimbra e a região de Leiria nunca chegará a 100% a Viseu. Se a frequência for de Viseu dificilmente chega em condições a Leiria com a quantidade de acidentes orográficos que existem. Repito: o que quer que seja a solução da Observador para a zona centro tem quase obrigatoriamente que passar pela Serra de Sicó, pela posição de charneira que tem, mesmo a meio. E nessa serra até chega em boa parte a Viseu: das minhas simulações, 70% da área é coberta com sinal Stereo, os restantes 30% são zonas de sombra que podem ter Mono. Qualquer potência de 1000w para diante; com 500w apenas 30% é coberta em Stereo em Viseu. Consequências.

- Vai sempre haver falhas de comutação em dois pontos: entre a Nazaré e as Caldas, e entre Torres Novas/Serra de Mira d’Aire e a frequência que esteja em Sicó. A primeira é +- suprimível se o emissor que estiver na zona Oeste estiver bem optimizado e se a frequência da Amadora estiver em Sintra, cria um fallback; a segunda terá sempre ali 4/5kms em que se ouve mal quer a frequência do sul, quer a que estiver em Sicó, e nenhum ping-pong resolverá totalmente, mas quem viaja nesta zona sabe que conta sempre com isso e não muda, já vi a acontecer tal situação com a M80 por exemplo.

São emissores locais, é o que é.

Agora soluções? No Oeste e no Ribatejo, optimizada, a candidata que estou a ver mais possível para apanhar tudo sem grandes mexidas (i.e. que possa ser arrendada) é a Mais Oeste em 94.2, que está à deriva. Mas porque a frequência é demasiado próxima da Antena 2, até se chegar à zona de melhor sinal da estação, repito, é absolutamente essencial que a Amadora vá para Sintra e que o Seixal esteja no centro do Seixal. Porque a zona mais forte da Mais Oeste quando optimizada é EXATAMENTE a partir daí: nó de ligação com a A21 na zona Oeste, nó de ligação com o Cartaxo na A1 (cerca de 3km antes dele, na verdade). Mas a Benedita FM também tem muito potencial para isso (como o AG referiu já é bem)

Eu sei que a paixão com Lisboa e o garantir essencialmente sinal é importante mas também importa ganhar o país e isto não afeta sinal em Lisboa a ponto de ficar 0% de sinal. A Baía nos tempos áureos ouvia-se perfeitamente em Cascais e os emissores de Sintra nos tempos áureos também se ouviam bem nas partes altas de Lisboa. Trata-se de optar entre 100% de força de sinal em Lisboa e 10% na zona Centro, ou 90% de força de sinal em Lisboa e 90% na zona Centro. Eu sei o que escolheria.

Numa situação hipotética dessa e olhando rapidamente:

98.4 - Viana (parcial) / Braga / Porto
88.1 - Porto (apoio) / Aveiro (norte e centro)
97.0 (exemplo) - Aveiro (sul) / Coimbra / Leiria (região) / Oeste (norte do Oeste) / Viseu (parcial)
94.2 (exemplo) - Oeste (centro/sul) e Ribatejo
93.7 (Sintra) - Oeste (apoio) / Lisboa (serrania)  / Setúbal
98.7 (Seixal) - Ribatejo (sul) / Lisboa (ribeirinho) / Setúbal

Seis frequências em cadeia, 10 distritos. E Sintra não só daria dupla alternativa de escuta na capital de distrito, Setúbal, como ainda permitiria propagar para o litoral alentejano: se os 98.7 se esgotam em Alcácer, em 93.7 ainda seria possível ouvir até Grandola de alguma forma de escuta, e depois na zona costeira de Sines e Santiago do Cacem. Ericeira ficava automaticamente resolvida também, e todas estas são zonas com público para o target do Observador.

Atenção, não fazer fé disso em função do estado *atual* dos emissores de Sintra, afetados por questões locais, mas sim do que já foi.

Bónus final que me ocorreu: a TSF tem dificuldades significativas em Sintra, porque os 89.5 são de Monsanto. Isto daria uma vantagem vital numa zona altamente populada, politicamente crítica, à Rádio Observador.
« Última modificação: Novembro 14, 2022, 01:36:25 am por Memorias da Radio »

Luis Carvalho

  • Administrator
  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 1413
  • Façam a TSF Grande Outra Vez!
Re: Rádio Observador - frequências possíveis para cobertura da região Centro
« Responder #22 em: Novembro 14, 2022, 02:10:22 am »
93,7 MHz em Sintra? Pergunta honesta: mas qual seria o ganho para a região? Só se for mesmo no concelho de Sintra, prejudicando a cobertura na Grande Lisboa (sim, não é só em Lisboa que os 93,7 dão uma boa ajuda para a Rádio Observador se fazer ouvir bem, complementando o sinal dos 98,7). E a ANACOM imporia restrições de potência a Norte/Nordeste do concelho de Sintra, de modo a evitar a interferência sobre a On FM (93,8 MHz Torres Vedras).
Cumprimentos,
Luís Carvalho

Administrador do "Fórum da Rádio"

modernices

  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 391
Re: Rádio Observador - frequências possíveis para cobertura da região Centro
« Responder #23 em: Novembro 14, 2022, 06:29:21 am »
A Rádio Observador deveria era ficar com a rede da Antena 2 ou da Antena 3.

Memorias da Radio

  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 3075
Re: Rádio Observador - frequências possíveis para cobertura da região Centro
« Responder #24 em: Novembro 14, 2022, 11:03:00 am »
93,7 MHz em Sintra? Pergunta honesta: mas qual seria o ganho para a região? Só se for mesmo no concelho de Sintra, prejudicando a cobertura na Grande Lisboa (sim, não é só em Lisboa que os 93,7 dão uma boa ajuda para a Rádio Observador se fazer ouvir bem, complementando o sinal dos 98,7). E a ANACOM imporia restrições de potência a Norte/Nordeste do concelho de Sintra, de modo a evitar a interferência sobre a On FM (93,8 MHz Torres Vedras).

Além de ter um reforço em Sintra onde a TSF não tem, também beneficiava em Mafra e ajudava na transição para o que quer que houvesse a seguir na região Oeste. Além disso, se houver limitações de azimute nessa direção e tenham que meter os dipolos a apontar para a Amadora, dificilmente não entra sinal no Ribatejo: o único senão é que a torre + terreno  tem que estar a uma cota superior a 400 metros em Sintra para vencer uma barreira geográfica que há a norte de Loures.

Bónus: mesmo com essa restrição propagaria sempre junto à costa pelo efeito de mar, zona que nenhum emissor serrano no Montejunto consegue assegurar sequer a 100%, nem mesmo os das nacionais. A título de referência, em Peniche a HiperFM em 104.6 deixa de se ouvir por completo na zona industrial e a Antena 3 em 105.2 quase por completo também e só dá Sintra e pouco mais; na Lourinhã há certas zonas em que o Montejunto fraqueja especialmente junto à costa, etc etc etc.

Falo com conhecimento do terreno. Admito por isso que não sei como seria o comportamento em São Martinho do Porto, único ponto da zona Oeste onde nunca fui até hoje (eu sei, eu sei que é insano e estou a falhar). Na Nazaré há zonas baixas onde se consegue ouvir ainda a Mega Hits de Sintra (!) e isto já foi no cenário atual de emissor aquém do que deveria carburar. A CardalFM, por exemplo, entra externamente (na estrada que vai para a Marinha Grande) mas não entra no interior, Montejunto é igual ou quase igual.

On FM de Torres nunca seria um impedimento nestas zonas porque sofre o mesmo exato efeito dos emissores serranos e além disso, para lá das Caldas, ambos os emissores estariam fracos o suficiente para não se interferir mutuamente, num local onde já haveria algo para os lados do Montejunto e, no meu cenário, na Serra de Sicó também, ou seja, 3 sinais a revezar-se entre si para uma escuta bastante boa (à custa de constantes trocas, é certo).

pdnf

  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 5458
  • Foi a Rádio que fez Abril!
Re: Rádio Observador - frequências possíveis para cobertura da região Centro
« Responder #25 em: Novembro 14, 2022, 11:03:52 am »

Numa situação hipotética dessa e olhando rapidamente:

98.4 - Viana (parcial) / Braga / Porto
88.1 - Porto (apoio) / Aveiro (norte e centro)
97.0 (exemplo) - Aveiro (sul) / Coimbra / Leiria (região) / Oeste (norte do Oeste) / Viseu (parcial)
94.2 (exemplo) - Oeste (centro/sul) e Ribatejo
93.7 (Sintra) - Oeste (apoio) / Lisboa (serrania)  / Setúbal
98.7 (Seixal) - Ribatejo (sul) / Lisboa (ribeirinho) / Setúbal


Memórias, essa solução nunca poderia ser, porque tens dois emissores do Distrito de Lisboa, os 93.7 da Amadora e os 94.2 do Cadaval. Portanto, obrigaria a que a + OESTE tivesse emissão local, como acontece com 90.0 Porto + 105.8 Valongo da M80.

A Rádio Observador deveria era ficar com a rede da Antena 2 ou da Antena 3.

Da Antena 2? Mas há algum país Europeu que não tenha uma rádio clássica na rede nacional? Da Antena 3 ainda "dou de barato", embora entenda que o que a 3 precisa é de ser melhorada, mas parece-me que antes de ficar com ela a Observador, faria sentido completar a RRN e a RRS.
Rádio é:
Ir ao fim da Rua, a ligar Portugal, aconteça o que acontecer.
Mais música nova para sentir (e decidir).
Estar no carro, em casa, em todo o lado, só se quiseres.
Saber que se a vida tem uma música, ela passa-a.
É a arte que toca, mais do que música...PESSOAS. Ah, and all that "unique" soul.

Memorias da Radio

  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 3075
Re: Rádio Observador - frequências possíveis para cobertura da região Centro
« Responder #26 em: Novembro 14, 2022, 11:08:12 am »

Numa situação hipotética dessa e olhando rapidamente:

98.4 - Viana (parcial) / Braga / Porto
88.1 - Porto (apoio) / Aveiro (norte e centro)
97.0 (exemplo) - Aveiro (sul) / Coimbra / Leiria (região) / Oeste (norte do Oeste) / Viseu (parcial)
94.2 (exemplo) - Oeste (centro/sul) e Ribatejo
93.7 (Sintra) - Oeste (apoio) / Lisboa (serrania)  / Setúbal
98.7 (Seixal) - Ribatejo (sul) / Lisboa (ribeirinho) / Setúbal


Memórias, essa solução nunca poderia ser, porque tens dois emissores do Distrito de Lisboa, os 93.7 da Amadora e os 94.2 do Cadaval. Portanto, obrigaria a que a + OESTE tivesse emissão local, como acontece com 90.0 Porto + 105.8 Valongo da M80.

A Rádio Observador deveria era ficar com a rede da Antena 2 ou da Antena 3.

Da Antena 2? Mas há algum país Europeu que não tenha uma rádio clássica na rede nacional? Da Antena 3 ainda "dou de barato", embora entenda que o que a 3 precisa é de ser melhorada, mas parece-me que antes de ficar com ela a Observador, faria sentido completar a RRN e a RRS.

Dei um exemplo. O AG falou dos 88.1 da Benedita FM que serviriam perfeitamente também é já seriam distrito de Leiria. (Claro que aí o alvará seguinte que fosse para Sicó tinha que ser de Coimbra). Mas anda sempre mais ou menos por aqui

Asantosc12

  • Global Moderator
  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 694
Re: Rádio Observador - frequências possíveis para cobertura da região Centro
« Responder #27 em: Novembro 14, 2022, 08:57:36 pm »
Como sou da região, vou dizer que para a Rádio Observador, de Lisboa até comutar com os 88,1, para ter escuta confortável, tem de ter 3 emissores. Um para a Região Oeste, outro para a Região de Leiria e ainda outro para a Região de Coimbra.

Mas com apenas 2 emissores, como já tinha dito, a Serra de Sicó é um ponto chave, tem uma altitude acho eu 550m, é visível na A1 (a subida para a serra/antenas é na estrada de Pombal para Ansião), consegue deixar sinal na Região de Leiria e Coimbra, mas em Leiria (Cidade), não existe milagres e o sinal tem várias oscilações, tal como deve ser acontecer na cidade dos Estudantes.

Mas fora isso, era um excelente "tiro certeiro" , até vos digo que o melhor emissor é o da Cardal FM (87,6). Conseguia cobrir bem a A1 de Leiria para cima, tal como na A17. Refiro que ainda consegue cumprir uns 10/20km da A8, basicamente até á saída para a Nazaré. Não tem sempre sinal a 100%, mas para potencia de 1kW é muito bom! O sinal desses emissores que chegam até perto de Aveiro.

O outro emissor era a +Oeste, é verdade que tem um sistema direcional (devido á Antena 2), mas têm uma excelente cobertura da Zona Oeste, Ribatejo, tem sinal ainda na zona de Estremadura e Alto Alentejo. A8 conseguia existir troca facilmente, na A1 é mais complicado, visto que o problema era já famoso Minde.

Para as pessoas que tentam mandar o emissor da Golo FM para o Montejunto, é praticamente impossível devido á Rádio Voz do Sorraia (Coruche) 94,7, mas porque também existe a Antena 1 Coimbra (94,9). Sim, porque um emissor a debitar 1kW em Montejunto, é quase como a Smooth ir para junto da Comercial na Lousã, ficaria com uma cobertura de uma rádio nacional.

Existem outras alternativas, existem. Mas a opinião de um "morador" da região era esta a minha alternativa.
« Última modificação: Novembro 14, 2022, 09:00:13 pm por Asantosc12 »

Atento

  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 5880
Re: Rádio Observador - frequências possíveis para cobertura da região Centro
« Responder #28 em: Novembro 14, 2022, 11:15:08 pm »
A Rádio Observador deveria era ficar com a rede da Antena 2 ou da Antena 3.


Todos os países europeus têm fortes serviços públicos de rádio e televisão,  liderando as audiências na esmagadora maioria dos casos.

Luis Carvalho

  • Administrator
  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 1413
  • Façam a TSF Grande Outra Vez!
Re: Rádio Observador - frequências possíveis para cobertura da região Centro
« Responder #29 em: Novembro 15, 2022, 02:09:17 am »
Como sou da região, vou dizer que para a Rádio Observador, de Lisboa até comutar com os 88,1, para ter escuta confortável, tem de ter 3 emissores. Um para a Região Oeste, outro para a Região de Leiria e ainda outro para a Região de Coimbra.

Mas com apenas 2 emissores, como já tinha dito, a Serra de Sicó é um ponto chave, tem uma altitude acho eu 550m, é visível na A1 (a subida para a serra/antenas é na estrada de Pombal para Ansião), consegue deixar sinal na Região de Leiria e Coimbra, mas em Leiria (Cidade), não existe milagres e o sinal tem várias oscilações, tal como deve ser acontecer na cidade dos Estudantes.

Mas fora isso, era um excelente "tiro certeiro" , até vos digo que o melhor emissor é o da Cardal FM (87,6). Conseguia cobrir bem a A1 de Leiria para cima, tal como na A17. Refiro que ainda consegue cumprir uns 10/20km da A8, basicamente até á saída para a Nazaré. Não tem sempre sinal a 100%, mas para potencia de 1kW é muito bom! O sinal desses emissores que chegam até perto de Aveiro.

O outro emissor era a +Oeste, é verdade que tem um sistema direcional (devido á Antena 2), mas têm uma excelente cobertura da Zona Oeste, Ribatejo, tem sinal ainda na zona de Estremadura e Alto Alentejo. A8 conseguia existir troca facilmente, na A1 é mais complicado, visto que o problema era já famoso Minde.

Para as pessoas que tentam mandar o emissor da Golo FM para o Montejunto, é praticamente impossível devido á Rádio Voz do Sorraia (Coruche) 94,7, mas porque também existe a Antena 1 Coimbra (94,9). Sim, porque um emissor a debitar 1kW em Montejunto, é quase como a Smooth ir para junto da Comercial na Lousã, ficaria com uma cobertura de uma rádio nacional.

Existem outras alternativas, existem. Mas a opinião de um "morador" da região era esta a minha alternativa.

A +Oeste está fora de hipótese, porquanto a Rádio Observador já tem uma frequência temática no distrito de Lisboa. Quanto à Cardal FM, sim, parece ser uma estação a considerar, tendo em conta a localização favorável do emissor e a frequência relativamente desimpedida, contrariamente à conterrânea dos 97,0 MHz. Não sei, contudo, se se justificaria deslocalizar o emissor para a Serra de Aire, pese embora a boa cobertura a partir da Serra de Sicó ..
« Última modificação: Novembro 15, 2022, 02:12:05 am por Luis Carvalho »
Cumprimentos,
Luís Carvalho

Administrador do "Fórum da Rádio"