Autor Tópico: Bareme Rádio  (Lida 213938 vezes)

pdf

  • Visitante
Re: Bareme Rádio
« Responder #60 em: Dezembro 20, 2016, 10:29:39 pm »
Saem as duas perdedoras porque ambas são produtos miseráveis.


Enviado do meu iPhone usando o Tapatalk

radiokilledtheMTVstar

  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 3605
  • "Quintão e Costa, a dupla que o povo gosta!"
Re: Bareme Rádio
« Responder #61 em: Dezembro 20, 2016, 10:54:42 pm »
Meter a Comercial e a RFM no mesmo saco é injusto.. Mesmo se não gostam de muita música que lá passam, não podem dizer que não se pode chamar uma rádio bem feita e com espírito de equipa enquanto outra é um mp3 com um programa da manhã constrangedor com risos forçados e o resto do dia com locutores a debitarem publicidade por entre kizombadas a metro...

A única imagem que encontrei: (penso que seja verdadeira)



A Comercial e a RFM estão iguais mas a RFM ganha no share... 
A Antena 3 continua irrelevante, continuem assim...

« Última modificação: Dezembro 21, 2016, 12:59:53 am por radiokilledtheMTVstar »

joao_s

  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 871
Re: Bareme Rádio
« Responder #62 em: Dezembro 20, 2016, 11:53:18 pm »
Num universo de 8,6 milhões potenciais destinatários apenas 55% ouve rádio. 45% não se identifica com a oferta radiofónica, o que é significativo.

O topo da tabela é ocupado por rádios descartáveis, entediantes, sem uma grelha de programas minimamente interessante, pouca substância, portanto são maus produtos de rádio, isto significa que a rádio não tem a devida expressão na sociedade portuguesa enquanto meio de comunicação, a rádio não é para se levar a sério para uma percentagem significativa de pessoas, apenas algo que se ouve no automóvel para distrair nas horas de ponta e pouco mais. Outro dado a destacar é a fraquíssima prestação do conjunto de estações do operador público. Os cidadãos pagam taxa audiovisual para quê? Não têm o devido retorno, as rádios públicas afundam no rating, não cativam minimamente as pessoas. Isto é grave. São culturalmente irrelevantes, os formatos não são os adequados, portanto não têm os ouvintes que supostamente deviam. Tal significa desperdício do erário público.

radiokilledtheMTVstar

  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 3605
  • "Quintão e Costa, a dupla que o povo gosta!"
Re: Bareme Rádio
« Responder #63 em: Dezembro 21, 2016, 01:16:17 am »
Num universo de 8,6 milhões potenciais destinatários apenas 55% ouve rádio. 45% não se identifica com a oferta radiofónica, o que é significativo.
Outro dado a destacar é a fraquíssima prestação do conjunto de estações do operador público. Os cidadãos pagam taxa audiovisual para quê? Não têm o devido retorno, as rádios públicas afundam no rating, não cativam minimamente as pessoas. Isto é grave. São culturalmente irrelevantes, os formatos não são os adequados, portanto não têm os ouvintes que supostamente deviam. Tal significa desperdício do erário público.

É verdade, nota-se que a rádio é cada vez mais irrelevante... penso que isto deve-se e muito ao extremar de estilos e formas de fazer rádio que temos neste momento... muita gente não se revê em nenhum deles e sente-se perdida, alienada. As rádios comerciais estão a voltar ao marasmo depois de alguns progressos nos últimos tempos. As rádios onde pode supostamente ouvir algo de alternativo vivem num mundo à parte e não querem saber do público que as podia ouvir... entre os quais destaco claro a Antena 3, um serviço público nunca devia ser assim fechado... Já a Antena 1 tem de voltar a "por-se fina" depois de ter regredido claramente e a Antena 2 tem também de se abrir e modernizar, ser uma rádio exclusivamente clássica e completamente fechada em si não resulta há muito tempo.

AG

  • Global Moderator
  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 2721
  • NSTALGIA
Re: Bareme Rádio
« Responder #64 em: Dezembro 21, 2016, 04:32:34 pm »
Num universo de 8,6 milhões potenciais destinatários apenas 55% ouve rádio. 45% não se identifica com a oferta radiofónica, o que é significativo.
Outro dado a destacar é a fraquíssima prestação do conjunto de estações do operador público. Os cidadãos pagam taxa audiovisual para quê? Não têm o devido retorno, as rádios públicas afundam no rating, não cativam minimamente as pessoas. Isto é grave. São culturalmente irrelevantes, os formatos não são os adequados, portanto não têm os ouvintes que supostamente deviam. Tal significa desperdício do erário público.

É verdade, nota-se que a rádio é cada vez mais irrelevante... penso que isto deve-se e muito ao extremar de estilos e formas de fazer rádio que temos neste momento... muita gente não se revê em nenhum deles e sente-se perdida, alienada. As rádios comerciais estão a voltar ao marasmo depois de alguns progressos nos últimos tempos. As rádios onde pode supostamente ouvir algo de alternativo vivem num mundo à parte e não querem saber do público que as podia ouvir... entre os quais destaco claro a Antena 3, um serviço público nunca devia ser assim fechado... Já a Antena 1 tem de voltar a "por-se fina" depois de ter regredido claramente e a Antena 2 tem também de se abrir e modernizar, ser uma rádio exclusivamente clássica e completamente fechada em si não resulta há muito tempo.
Genericamente de acordo.

Em particular, analisando o Bareme, as audiências das rádios para jovens são ridículas.

RR com a nova programação estacou a queda, e a Antena 1 a recuperar bem.

Enviado do meu F3111 através de Tapatalk


Linxtuga

  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 400
Re: Bareme Rádio
« Responder #65 em: Dezembro 21, 2016, 05:30:43 pm »
A Comercial faz bem em anunciar se líder porque no total do ano é, embora tenha reduzido a margem para a RFM.

A RFM lidera no reach semanal mas a margem é tão curta que não lhe é favorável. Vamos ver como é agora em 2017.

joao_s

  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 871
Re: Bareme Rádio
« Responder #66 em: Dezembro 23, 2016, 01:17:55 am »
A propósito da sua observação sobre a RR caro “AG”, evidentemente que não me referia à RR nas considerações anteriores. A meu ver as alterações efetuadas na grelha, de setembro a esta parte, são positivas, o programa matutino da radialista Carla Rocha é um bom programa de rádio, o registo do repórter Ricardo Duarte adequa-se melhor neste formato do que no anterior, a tónica informativa (ou até do tipo “magazine”) transversal ao programa resulta muitíssimo bem. O que não surpreende é a seleção musical previsível e estafada ao longo dos anos, se bem que terá melhorado um pouco.

Em matéria de rádio, oiço por esta ordem as seguintes estações: 1.º BBC Radio 2; 2.º Rádio Renascença; 3.º Smooth FM; 4.º (irregular, de vez em quando) M80. E chega. Não me identifico com as rádios portuguesas de serviço público.

Já agora, há práticas na “BBC Radio 2” que podiam, eventualmente, ser transpostas para as rádios portuguesas. Porque não? Há jornalistas da “BBC R2” que têm os seus programas de temática… musical, com palavra selecionada. Por exemplo, a radialista “Moira Stuart” realiza um excelente programa de smooth jazz aos domingos à noite (agora com um interregno até março) e faz os serviços noticiosos do programa matutino da mesma estação, o energético “The Chris Evans Breakfast Show”.

Quem sabe se a mesma prática ocorresse por cá, se teríamos uma agradável surpresa.

Linxtuga

  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 400
Re: Bareme Rádio
« Responder #67 em: Dezembro 23, 2016, 01:28:09 am »
A Antena 2 tem de ser urgentemente repensada. 100 mil ouvintes a nível nacional? 0,5% AAV? Desperdício puro. A rádio só tem influência em quem estuda e trabalha com música, instrumentos e afins. Lisboa, Leiria/Fátima, Coimbra, Aveiro, Porto, Bragança e Algarve. Pouco mais que isto. É um desperdício de energia tremendo, tanto emissor para 100 mil apenas ouvirem.

Outra coisa. Seria já altura do Bareme apresentar o grupo Música no Coração. Se na RTP apresentam a RDP África com 3 emissores e na MCR apresentam a Smooth e a Vodafone com o mesmo ou pouco mais... Afinal, são o quarto grupo radiofonico em Portugal.

AG

  • Global Moderator
  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 2721
  • NSTALGIA
Re: Bareme Rádio
« Responder #68 em: Dezembro 23, 2016, 01:46:40 am »
Se calhar agora não se justifica, pois o grupo vai ser partido ao meio: SBSR, MEO Music, Amália, Nova Era, Festival e Marginal (gestão apenas) para Montez; Radar e Oxigénio para Covões.
E provavelmente nenhuma destas estações não terá audiência suficiente para aparecer a nível nacional: Lembro-me de uma altura em que a Orbital o conseguiu, aí por 2011 ou 2012.

João, de facto, agora pico a RR para ouvir o que é por lá se passa, ao fim de alguns anos. Para mim aquele é um modelo próximo daquilo que defendo para uma rádio generalista: informação (sem cansar e próxima do ouvinte) e música (onde a RR ainda tem que melhorar mesmo muito). Porque não ouve a Antena 1, que também tem um perfil semelhante, para melhor, na minha opinião? Pese o excesso de rubricas, como por exemplo o Radiotaxismo, a Antena 1 tem a melhor informação e bom entretimento, como os programas do David Ferreira.

joao_s

  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 871
Re: Bareme Rádio
« Responder #69 em: Dezembro 23, 2016, 06:47:57 pm »
Caro “AG”, as rádios públicas soam-me a algo de ultrapassado, produtos que já passaram o prazo de validade. Não gosto do serviço público de radiodifusão que se faz em Portugal, acho-o bastante limitado, retrógrado, portanto não serve como meio para adquirir uma visão holística e eclética do mundo que nos rodeia, no que à cultura contemporânea diz respeito. Para mim a RTP não faz o serviço público de radiodifusão que lhe compete.

Ainda relativamente à RR, destaco a componente informativa da estação, a meu ver os jornalistas desempenham muito bem as suas funções. Uma palavra de reconhecimento pelo seu envolvimento e empenho. Porque não também tentarem fazer programas de conteúdo musical, com palavra selecionada, não deixando de parte a perspetiva de um jornalista?

“Linxtuga”, onde foi buscar o número de 100 mil ouvintes para a “Antena 2”? Fazendo cálculos por alto chego ao número na ordem 40 mil. A “Antena 2” é uma rádio vocacionada para a Cultura Erudita & Teatro Radiofónico (?), indicando que estamos em solo europeu. Acho que se deve manter uma Rádio de Cultura Clássica em Portugal, como acontece nos restantes países europeus. A audiência de uma estação com estas características será sempre residual. As restantes estações públicas devem orientar-se para o universo da população, com propostas de conteúdos complementares entre si. Não têm de ser “alternativas” de coisa nenhuma, devem ser pensadas para um país que pertence ao mundo global, estamos na era da globalização, portanto funcionarem como sistemas abertos e dinâmicos e não como sistemas fechados e estáticos (como acontece), que se esgotam. A RTP Radiodifusão está a prestar um mau serviço ao país.

Atento

  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 5877
Re: Bareme Rádio
« Responder #70 em: Dezembro 29, 2016, 03:40:38 am »
Creio que a audiência da antena1 é superior àquela que é apresentada no estudo. Antena1 e RR estarão empatadas...
A antena3 caminha para a irrelevância. É pena. Há muita coisa mal feita, caiu-se na indiferença. Tudo continuará na mesma. A antena2 e a antena3 cristalizaram-se. Assim irão continuar até que surja mais uma reestruturação no operador público de rádio e televisão. Mais do mesmo, infelizmente.
« Última modificação: Dezembro 29, 2016, 03:42:11 am por Atento »

Atento

  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 5877
Re: Bareme Rádio
« Responder #71 em: Dezembro 29, 2016, 03:49:12 am »
A antena1 tem de apresentar uma audiência compreendida entre os seguintes intervalos - 5% a 8%;

Antena3 - 5% a 8%;

Antena2 - 0,5% 2%.

Tudo o que seja inferior a isso, deve preocupar todos: responsáveis e ouvintes que pagam religiosamente a CAV.

Atento

  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 5877
Re: Bareme Rádio
« Responder #72 em: Dezembro 29, 2016, 12:13:15 pm »
Comparando com a vaga de dezembro de 2015:

http://www.marktest.com/wap/a/n/id~1ff2.aspx

joao_s

  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 871
Re: Bareme Rádio
« Responder #73 em: Dezembro 29, 2016, 05:01:20 pm »
Que tal compararmos a estações estruturantes de serviço público no Reino Unido, nacionais, com as estações de Portugal, no que concerne à pertinência de conteúdos difundidos, destinatários das emissões e audiência? (não obstante as características intrínsecas ao país, como sejam regiões como Escócia, Irlanda do Norte, País de Gales, etc. comtempladas com soluções específicas do Operador Público daquele País)

BBC Radio 3 (Programação dedicada à Cultura Erudita, Artes, Música Clássica, Jazz, Música do Mundo, Documentários e Teatro Radiofónico) – 1,2% audiência; 1,9 milhões de ouvintes. --> Antena 2 – 0,5% audiência; 28,7 mil ouvintes.

BBC Radio 4 (Programação dedicada à informação & análise detalhada dos temas da atualidade, programas de palavra diversos tais como magazines, factuais, humor, etc.).  - 11,8% audiência; 11,2 milhões de ouvintes. --> Antena 1 – 4,8% audiência.

BBC Radio 6* (Programação dedicada à música popular alternativa desde a década de 60 até ao presente) – 2,1% audiência; 2,3 milhões de ouvintes. --> Antena 3 – 1,5% audiência.

BBC Radio 2 (Característica distintiva, a diversidade de géneros musicais conciliada com programas de palavra, humor, documentários, magazine, promotora de concertos de pop, rock, entre outros, e de campanhas para a sociedade civil. Desenhada para o público em geral, nomeadamente para todas as faixas etárias com mais de 35 anos) – 16,7% audiência; 15,1 milhões de ouvintes. -->  Uma estação emblemática de serviço público que não existe em Portugal. Um falhanço em toda a linha do serviço público de radiodifusão em Portugal.

(*) Não é uma estação estruturante de serviço público, podendo ser realizada por operadores privados (a grelha de um operador público poderá contemplar programas sobre o tema, mas não fazer uma rádio temática do género, para mais num país que não tem os recursos de Inglaterra, tal não é prioritário).

Fontes:
Estudos detalhados de audiências no Reino Unido (até setembro de 2016):
i) http://www.rajar.co.uk/listening/quarterly_listening.php
(no link seguinte, clicar em “BBC Stations: ALL”)
ii) http://radiotoday.co.uk/rajar/
Licenças de serviço público das estações da BBC:
i) http://www.bbc.co.uk/bbctrust/our_work/services/radio/service_licences.html
Missão das diferentes estações de rádio da BBC (Inside BBC):
ii) http://www.bbc.co.uk/aboutthebbc/insidethebbc/whatwedo/radio
« Última modificação: Dezembro 29, 2016, 05:07:21 pm por joao_s »

Linxtuga

  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 400
Re: Bareme Rádio
« Responder #74 em: Dezembro 29, 2016, 05:56:52 pm »
Que tal compararmos a estações estruturantes de serviço público no Reino Unido, nacionais, com as estações de Portugal, no que concerne à pertinência de conteúdos difundidos, destinatários das emissões e audiência? (não obstante as características intrínsecas ao país, como sejam regiões como Escócia, Irlanda do Norte, País de Gales, etc. comtempladas com soluções específicas do Operador Público daquele País)

BBC Radio 3 (Programação dedicada à Cultura Erudita, Artes, Música Clássica, Jazz, Música do Mundo, Documentários e Teatro Radiofónico) – 1,2% audiência; 1,9 milhões de ouvintes. --> Antena 2 – 0,5% audiência; 28,7 mil ouvintes.

BBC Radio 4 (Programação dedicada à informação & análise detalhada dos temas da atualidade, programas de palavra diversos tais como magazines, factuais, humor, etc.).  - 11,8% audiência; 11,2 milhões de ouvintes. --> Antena 1 – 4,8% audiência.

BBC Radio 6* (Programação dedicada à música popular alternativa desde a década de 60 até ao presente) – 2,1% audiência; 2,3 milhões de ouvintes. --> Antena 3 – 1,5% audiência.

BBC Radio 2 (Característica distintiva, a diversidade de géneros musicais conciliada com programas de palavra, humor, documentários, magazine, promotora de concertos de pop, rock, entre outros, e de campanhas para a sociedade civil. Desenhada para o público em geral, nomeadamente para todas as faixas etárias com mais de 35 anos) – 16,7% audiência; 15,1 milhões de ouvintes. -->  Uma estação emblemática de serviço público que não existe em Portugal. Um falhanço em toda a linha do serviço público de radiodifusão em Portugal.

(*) Não é uma estação estruturante de serviço público, podendo ser realizada por operadores privados (a grelha de um operador público poderá contemplar programas sobre o tema, mas não fazer uma rádio temática do género, para mais num país que não tem os recursos de Inglaterra, tal não é prioritário).

Fontes:
Estudos detalhados de audiências no Reino Unido (até setembro de 2016):
i) http://www.rajar.co.uk/listening/quarterly_listening.php
(no link seguinte, clicar em “BBC Stations: ALL”)
ii) http://radiotoday.co.uk/rajar/
Licenças de serviço público das estações da BBC:
i) http://www.bbc.co.uk/bbctrust/our_work/services/radio/service_licences.html
Missão das diferentes estações de rádio da BBC (Inside BBC):
ii) http://www.bbc.co.uk/aboutthebbc/insidethebbc/whatwedo/radio

Discordo quanto ao colocar da Radio 2 sem equivalente em Portugal. A Antena 1 faz cerca de 50%-60% do trabalho que descreve como sendo da Radio 2.

A Radio 5 Live é que não tem mesmo qualquer equivalente. E aqui em Portugal a Radio 1 tenho dúvidas se seria a Mega Hits ou a Cidade.

Quanto à Antena 2, não são 28.7 mil ouvintes, são mais...