Autor Tópico: Pirata na região de Estarreja  (Lida 17332 vezes)

Asantosc12

  • Global Moderator
  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 691
Re: Pirata na região de Estarreja
« Responder #120 em: Abril 15, 2023, 10:54:48 am »
Caro Pirata 78,

Todos temos o direito de escrever a nossa opinião aqui neste fórum, venho cordialmente pedir-lhe atenção, em algumas palavras usadas no seu texto.

Se é esse o prepósito da rádio, acho louvável e fazem falta rádios verdadeiramente locais. Não serem Jukeboxs na maior parte do tempo. Dei um exemplo, num texto para a Rádio Foz do Mondego, de se criarem oportunidades para uma "Maria" ou para um "Zé", irem fazer rádio e quiçá terem um espaço. Acho que a Rádio não procura as pessoas, mas sim o contrário. Devia de se mudar essa mentalidade, na minha opinião.

Agora imagine que é diretor de uma rádio legalizada na sua região, tem despesas para pagar (alvará, licenças musicais, terreno do emissor) e aparece a vouginha fm que não paga por nada disso. No meu caso, digo-lhe que ficava indignado perante tal situação. Não posso culpar as entidades reguladoras na totalidade, porque teriam de andar pelo terreno de Norte a Sul, mas em alguns casos é gritante (Pampilhosa FM) ou a situação da em tempos da Mega Hits.

Outro problema, pense que a Vodafone FM (103,0) era uma rádio local, que a emissão efetivamente chegava a Estarreja, tinha boa audiência e os anunciantes apostavam em publicidade nessa rádio. Como sabe, a maior parte das Rádios Locais, sobrevivem da publicidade, abrir uma rádio ilegal nos 102,9, faz com que a emissão passe a ter problemas de escuta, e os anunciantes deixem de apostar. Com isso, pode roubar uns "bons" euros ao final do mês para pagar despesas da Vodafone. Esses euros, podem fazer a diferença na sustentabilidade de um projeto! 
Acho tudo isto, uma expressão de algo muito português "chico esperto!".

Existe um exemplo nas Caldas da Rainha, uma rádio temporária (Osso), que está aprovada e deve ser um emissor com as mesmas características.

Por último, não é a Câmara que legaliza as rádios, tem de esperar por novos concursos e submeter o projeto a um parecer. Envolve-los seria um tiro tremendo nessa ilegalidade.

Pirata 78

  • Newbie
  • *
  • Mensagens: 2
Re: Pirata na região de Estarreja
« Responder #121 em: Abril 15, 2023, 03:25:45 pm »
Não disse que era a câmara que legalizava mas sim que pudesse ajudar ou criar espaço visto que existe várias estações da CP ao abandono é muito diferente.
Você diz que é uma jukebox acho que maior parte das rádios locais que conheço não têm hipótese de pagar para ter locutores a tempo inteiro mas sim colocar em automático pois fica mais barato e conseguem gerir  pelos custos pois as empresas que fazem publicidade quase querem fazer de grassa pois essas mesmas empresas estão quase com a corda ao pescoço,falidas. só mesmo nas grandes cidades é que poderá ser uma boa aposta.As rádios nacionais que têm bons padrinhos e têm boas ajudas financeiras é que conseguem gerir é por isso que algumas rádios nacionais desaparecem assim do nada como por ex.radio clube do português romântica fm capital e outras que não vale a pena dizer.
Se você acha que sou Chico esperto então tem que aprender muito sobre rádio local.trabalhei em rádio local e sei muito bem como é,só vi este fórum e achei que deveria falar só isso é apoio as rádios locais 

pdnf

  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 5426
  • Foi a Rádio que fez Abril!
Re: Pirata na região de Estarreja
« Responder #122 em: Abril 15, 2023, 04:54:06 pm »
Certo é, isso é verdade, que os 102.9, dos quais ninguém duvida das boas intenções, aliás, bem pelo contrario, saúda-se a iniciativa, interferiam nos 103.0MHz da Vodafone FM. Só não eram tão problemáticos, porque a própria Antena 3 do Sameiro também o faz, e parece-me que a ideia da Vodafone foi orientar a escuta para a região de Coimbra, não para Norte, até porque Santa Justa em 94.3, por incrivel que possa parecer, chegam às portas de Aveiro, mesmo com a M80 em 94.4. Da Cidade Viseu não falo, porque tem os 99.7 e os 101.0 que fazem com que a frequência seja desnecessária na região, mas é certo que também chega sinal.
O problema do Porto e distritos à volta é que não há muito espaço livre no espectro, devido à orografia da região que não ajuda. Se fosse por exemplo, na zona de Coimbra, ou em outras, penso, sinceramente que seria uma não questão, contando que fosse uma espécie de radio comunitária sem publicidade.
Rádio é:
Ir ao fim da Rua, a ligar Portugal, aconteça o que acontecer.
Mais música nova para sentir (e decidir).
Estar no carro, em casa, em todo o lado, só se quiseres.
Saber que se a vida tem uma música, ela passa-a.
É a arte que toca, mais do que música...PESSOAS. Ah, and all that "unique" soul.

joao.rosa.10004

  • Full Member
  • ***
  • Mensagens: 88
Re: Pirata na região de Estarreja
« Responder #123 em: Abril 15, 2023, 08:13:54 pm »
Meus caros, em relação a qualquer transmissão em espectro regulado sem o devido licenciamento, neste país existem leis e têm que ser cumpridas. Ponto.
Existem locais próprios para solicitar alteração às mesmas!

Asantosc12

  • Global Moderator
  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 691
Re: Pirata na região de Estarreja
« Responder #124 em: Abril 16, 2023, 01:55:45 pm »
Não disse que era a câmara que legalizava mas sim que pudesse ajudar ou criar espaço visto que existe várias estações da CP ao abandono é muito diferente.
Você diz que é uma jukebox acho que maior parte das rádios locais que conheço não têm hipótese de pagar para ter locutores a tempo inteiro mas sim colocar em automático pois fica mais barato e conseguem gerir  pelos custos pois as empresas que fazem publicidade quase querem fazer de grassa pois essas mesmas empresas estão quase com a corda ao pescoço,falidas. só mesmo nas grandes cidades é que poderá ser uma boa aposta.As rádios nacionais que têm bons padrinhos e têm boas ajudas financeiras é que conseguem gerir é por isso que algumas rádios nacionais desaparecem assim do nada como por ex.radio clube do português romântica fm capital e outras que não vale a pena dizer.
Se você acha que sou Chico esperto então tem que aprender muito sobre rádio local.trabalhei em rádio local e sei muito bem como é,só vi este fórum e achei que deveria falar só isso é apoio as rádios locais 

Se a câmara, criar/ajudar com um espaço para uma ilegalidade que é a rádio em questão, pode ser acusada de cumplicidade aos olhos da lei. Aparecimentos de novas rádios para âmbitos locais, saúda-se sempre, mas de forma legal.
Também conheço bem a realidade e subscrevo por completo as suas palavras. Conheço pessoas ligadas á direção das rádios que colocam lá o seu dinheiro para atenuar os danos, sem perceberem se vai existir retorno, para não serem mais uma a fechar e a terra ficar "calada" no éter.

Os grandes grupos tem maior capacidade de gerar lucros, porque oferecem um leque de rádios diversificadas, são audíveis em grande parte ou no país inteiro e sabem vender bem o produto, seja na internet ou na rua. Abro uma exceção para o (Grupo RTP) que não tem um bom marketing e era fundamental para outros patamares. Os projetos que enumerou, foram projetos "falhados" da MCR, sendo que gostava da secção de desporto do Rádio Clube Português. Até achar a Smooth FM que foi um tiro certeiro, na altura a MCR deu com alguns tiros ao lado.

Não lhe estava a chamar "chico esperto" a si, só se for o diretor da rádio, e enquanto ela for ilegal. Não pode existir dois pesos e duas medidas, existe uma lei e tem de ser cumprida, ponto.

Luis Carvalho

  • Administrator
  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 1409
  • Façam a TSF Grande Outra Vez!
Re: Pirata na região de Estarreja
« Responder #125 em: Abril 18, 2023, 12:22:35 am »
Não disse que era a câmara que legalizava mas sim que pudesse ajudar ou criar espaço visto que existe várias estações da CP ao abandono é muito diferente.
Você diz que é uma jukebox acho que maior parte das rádios locais que conheço não têm hipótese de pagar para ter locutores a tempo inteiro mas sim colocar em automático pois fica mais barato e conseguem gerir  pelos custos pois as empresas que fazem publicidade quase querem fazer de grassa pois essas mesmas empresas estão quase com a corda ao pescoço,falidas. só mesmo nas grandes cidades é que poderá ser uma boa aposta.As rádios nacionais que têm bons padrinhos e têm boas ajudas financeiras é que conseguem gerir é por isso que algumas rádios nacionais desaparecem assim do nada como por ex.radio clube do português romântica fm capital e outras que não vale a pena dizer.
Se você acha que sou Chico esperto então tem que aprender muito sobre rádio local.trabalhei em rádio local e sei muito bem como é,só vi este fórum e achei que deveria falar só isso é apoio as rádios locais 

Se a câmara, criar/ajudar com um espaço para uma ilegalidade que é a rádio em questão, pode ser acusada de cumplicidade aos olhos da lei. Aparecimentos de novas rádios para âmbitos locais, saúda-se sempre, mas de forma legal.
Também conheço bem a realidade e subscrevo por completo as suas palavras. Conheço pessoas ligadas á direção das rádios que colocam lá o seu dinheiro para atenuar os danos, sem perceberem se vai existir retorno, para não serem mais uma a fechar e a terra ficar "calada" no éter.

Os grandes grupos tem maior capacidade de gerar lucros, porque oferecem um leque de rádios diversificadas, são audíveis em grande parte ou no país inteiro e sabem vender bem o produto, seja na internet ou na rua. Abro uma exceção para o (Grupo RTP) que não tem um bom marketing e era fundamental para outros patamares. Os projetos que enumerou, foram projetos "falhados" da MCR, sendo que gostava da secção de desporto do Rádio Clube Português. Até achar a Smooth FM que foi um tiro certeiro, na altura a MCR deu com alguns tiros ao lado.

Não lhe estava a chamar "chico esperto" a si, só se for o diretor da rádio, e enquanto ela for ilegal. Não pode existir dois pesos e duas medidas, existe uma lei e tem de ser cumprida, ponto.

Concordo em absoluto num ponto: não seria correcto ter-se câmaras municipais ou outras instituições públicas a apoiar estações de rádio ilegais. Se a lei da rádio devia ser alterada por forma a permitir rádios comunitárias e locais de alcance reduzido? A meu ver, sim - quem gosta de rádio deveria pressionar o governo e o poder político nesse sentido. Mas lei é lei e se nem o Estado der o exemplo, quem vai considerar legítimo ter de respeitar as leis quando outros não o fazem?
Cumprimentos,
Luís Carvalho

Administrador do "Fórum da Rádio"

Memorias da Radio

  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 3043
Re: Pirata na região de Estarreja
« Responder #126 em: Abril 18, 2023, 12:46:40 am »
Não disse que era a câmara que legalizava mas sim que pudesse ajudar ou criar espaço visto que existe várias estações da CP ao abandono é muito diferente.
Você diz que é uma jukebox acho que maior parte das rádios locais que conheço não têm hipótese de pagar para ter locutores a tempo inteiro mas sim colocar em automático pois fica mais barato e conseguem gerir  pelos custos pois as empresas que fazem publicidade quase querem fazer de grassa pois essas mesmas empresas estão quase com a corda ao pescoço,falidas. só mesmo nas grandes cidades é que poderá ser uma boa aposta.As rádios nacionais que têm bons padrinhos e têm boas ajudas financeiras é que conseguem gerir é por isso que algumas rádios nacionais desaparecem assim do nada como por ex.radio clube do português romântica fm capital e outras que não vale a pena dizer.
Se você acha que sou Chico esperto então tem que aprender muito sobre rádio local.trabalhei em rádio local e sei muito bem como é,só vi este fórum e achei que deveria falar só isso é apoio as rádios locais

Boa noite, António Santos.

Notas  breves sobre estes aspetos:
- ao preço a que atualmente estão os gravados para rádio, esse é um argumento que cai por terra perante algo que o mercado ainda valoriza;
- rádio em automático é Spotify;
- as rádios nacionais não têm “bons padrinhos”, têm algo que qualquer rádio local pode ter: acionistas que metam capital. Mesma exata lógica de clubes locais terem acionistas internacionais.
- acho pouco compreensível que, com as várias estações disponíveis em Ovar, Murtosa, Estarreja, tenha que se enveredar para uma pirata.
- o conteúdo que se escuta nestas frequências não bate certo com o que diz aqui, de propósito “social” e de apoio a idosos, parecendo rádios pop normais pela larga parte, só com uma playlist mais diferenciada. Social implicaria companhia, que implicaria locução, como existia na… Rádio Sim. Cai por terra qualquer branqueamento que se queira fazer aqui, que só passa porque muitos dos foristas nunca escutaram a referida estação.
- no fim do dia, lei é lei. Não podem andar uns a revender para outros piratearem. Mas sobre isso a posição que tenho já é amplamente conhecida (liberalizar o espectro).

Cumprimentos.