Autor Tópico: Rádio Observador  (Lida 298477 vezes)

pdnf

  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 5467
  • Foi a Rádio que fez Abril!
Re: Rádio Observador
« Responder #2730 em: Junho 15, 2024, 02:36:07 am »
As rádios portuguesas terão todas juntas aproximadamente 5 pessoas na Alemanha...
A Renascença andou a anunciar em antena para aí uns 7 ou 8 nomes que estariam em missão especial de acompanhamento ao Euro, agora se alguns estão na delegação da Buraca ou de Mafamude na Alemanha, isso é outra conversa. Parece-me que será o caso.

Há que perceber a diferença de escala. A audiência das nossas quatro rádios tendencialmente de palavra, todas juntas, não devem chegar aos níveis da Ondacero, mesmo fazendo o ajuste per capita, quanto mais da COPE ou da SER. Não há grande hipótese, a rádio em Portugal é vista como um meio menor, diria que até a imprensa escrita é capaz de ter mais prestígio. Por outro lado, o Estado Novo cultivou uma ideia de rádio muito associada à música, porque era conveniente para o regime. 50 anos depois, ainda não fomos capazes de desbravar terreno nesse aspeto. Agora vou-lhe mandar uma bicada amigável. Sabe porque é que acho que isso também acontece muito? Distância face ao país real.

Na quinta-feira, feriado em Lisboa, ouvi na Observador uma bacorada tão grande, que achei mesmo lamentável. Neste caso, da convidada do contra corrente, Maria Pignatelli. A Carla Jorge de Carvalho, a dada altura, questiona-a se encontra grandes diferenças entre os festejos de Santo António em Lisboa e de São João no Porto. Qualquer pessoa que conheça minimamente as duas cidades compreende que descontadas as diferenças são ambas festas populares de massas, em Lisboa as marchas são mais expressivas e no Porto há os martelinhos. Eis a resposta da convidada: as festividades de Lisboa são essencialmente urbanas e cultas, as do Porto são totalmente rurais e associadas aos assalariados. Desculpem, deixem-me ser adolescente: LOLOL!
Isto segundos depois de ter referido como exemplo a Madragoa que tem raízes profundas na comunidade Vareira e piscatória de Ovar, o que é verdade, e que isso acontecia com a maioria dos bairros, relativamente a outros concelhos do país.

O tema do contra-corrente, já de si relevantíssimo, eram as festividades de Santo António. Começo já por dizer que espero que façam o mesmo no dia 24/06, São João, é feriado em Vila do Conde onde têm o emissor, e também no dia 29/06, São Pedro, é feriado no Seixal. Por acaso, 13/06 não é feriado em nenhum dos municípios da cobertura da Observador, mas adiante, assumamos que é o da Amadora.

É um exemplo, vale o que vale, mas o que acha que sente um portuense ao ouvir uma bacorada destas? Acha que isto os aproxima ao auditório?
Rádio é:
Ir ao fim da Rua, a ligar Portugal, aconteça o que acontecer.
Mais música nova para sentir (e decidir).
Estar no carro, em casa, em todo o lado, só se quiseres.
Saber que se a vida tem uma música, ela passa-a.
É a arte que toca, mais do que música...PESSOAS. Ah, and all that "unique" soul.

Atento

  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 5883
Re: Rádio Observador
« Responder #2731 em: Junho 15, 2024, 09:30:18 am »
As rádios portuguesas terão todas juntas aproximadamente 5 pessoas na Alemanha...
A Renascença andou a anunciar em antena para aí uns 7 ou 8 nomes que estariam em missão especial de acompanhamento ao Euro, agora se alguns estão na delegação da Buraca ou de Mafamude na Alemanha, isso é outra conversa. Parece-me que será o caso.

Há que perceber a diferença de escala. A audiência das nossas quatro rádios tendencialmente de palavra, todas juntas, não devem chegar aos níveis da Ondacero, mesmo fazendo o ajuste per capita, quanto mais da COPE ou da SER. Não há grande hipótese, a rádio em Portugal é vista como um meio menor, diria que até a imprensa escrita é capaz de ter mais prestígio. Por outro lado, o Estado Novo cultivou uma ideia de rádio muito associada à música, porque era conveniente para o regime. 50 anos depois, ainda não fomos capazes de desbravar terreno nesse aspeto. Agora vou-lhe mandar uma bicada amigável. Sabe porque é que acho que isso também acontece muito? Distância face ao país real.

Na quinta-feira, feriado em Lisboa, ouvi na Observador uma bacorada tão grande, que achei mesmo lamentável. Neste caso, da convidada do contra corrente, Maria Pignatelli. A Carla Jorge de Carvalho, a dada altura, questiona-a se encontra grandes diferenças entre os festejos de Santo António em Lisboa e de São João no Porto. Qualquer pessoa que conheça minimamente as duas cidades compreende que descontadas as diferenças são ambas festas populares de massas, em Lisboa as marchas são mais expressivas e no Porto há os martelinhos. Eis a resposta da convidada: as festividades de Lisboa são essencialmente urbanas e cultas, as do Porto são totalmente rurais e associadas aos assalariados. Desculpem, deixem-me ser adolescente: LOLOL!
Isto segundos depois de ter referido como exemplo a Madragoa que tem raízes profundas na comunidade Vareira e piscatória de Ovar, o que é verdade, e que isso acontecia com a maioria dos bairros, relativamente a outros concelhos do país.

O tema do contra-corrente, já de si relevantíssimo, eram as festividades de Santo António. Começo já por dizer que espero que façam o mesmo no dia 24/06, São João, é feriado em Vila do Conde onde têm o emissor, e também no dia 29/06, São Pedro, é feriado no Seixal. Por acaso, 13/06 não é feriado em nenhum dos municípios da cobertura da Observador, mas adiante, assumamos que é o da Amadora.

É um exemplo, vale o que vale, mas o que acha que sente um portuense ao ouvir uma bacorada destas? Acha que isto os aproxima ao auditório?


Ambas as festas são populares, tendo uma idiossincrasia própria,  onde cabe toda a gente.

Toda a gente menos a "queriduxa"  Pignatetelli que é muito intelectual  e tem um pedigree acima da média...

O Bigode do Sala

  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 809
Re: Rádio Observador
« Responder #2732 em: Junho 15, 2024, 03:05:32 pm »
As rádios portuguesas terão todas juntas aproximadamente 5 pessoas na Alemanha...
A Renascença andou a anunciar em antena para aí uns 7 ou 8 nomes que estariam em missão especial de acompanhamento ao Euro, agora se alguns estão na delegação da Buraca ou de Mafamude na Alemanha, isso é outra conversa. Parece-me que será o caso.

Há que perceber a diferença de escala. A audiência das nossas quatro rádios tendencialmente de palavra, todas juntas, não devem chegar aos níveis da Ondacero, mesmo fazendo o ajuste per capita, quanto mais da COPE ou da SER. Não há grande hipótese, a rádio em Portugal é vista como um meio menor, diria que até a imprensa escrita é capaz de ter mais prestígio. Por outro lado, o Estado Novo cultivou uma ideia de rádio muito associada à música, porque era conveniente para o regime. 50 anos depois, ainda não fomos capazes de desbravar terreno nesse aspeto. Agora vou-lhe mandar uma bicada amigável. Sabe porque é que acho que isso também acontece muito? Distância face ao país real.

Na quinta-feira, feriado em Lisboa, ouvi na Observador uma bacorada tão grande, que achei mesmo lamentável. Neste caso, da convidada do contra corrente, Maria Pignatelli. A Carla Jorge de Carvalho, a dada altura, questiona-a se encontra grandes diferenças entre os festejos de Santo António em Lisboa e de São João no Porto. Qualquer pessoa que conheça minimamente as duas cidades compreende que descontadas as diferenças são ambas festas populares de massas, em Lisboa as marchas são mais expressivas e no Porto há os martelinhos. Eis a resposta da convidada: as festividades de Lisboa são essencialmente urbanas e cultas, as do Porto são totalmente rurais e associadas aos assalariados. Desculpem, deixem-me ser adolescente: LOLOL!
Isto segundos depois de ter referido como exemplo a Madragoa que tem raízes profundas na comunidade Vareira e piscatória de Ovar, o que é verdade, e que isso acontecia com a maioria dos bairros, relativamente a outros concelhos do país.

O tema do contra-corrente, já de si relevantíssimo, eram as festividades de Santo António. Começo já por dizer que espero que façam o mesmo no dia 24/06, São João, é feriado em Vila do Conde onde têm o emissor, e também no dia 29/06, São Pedro, é feriado no Seixal. Por acaso, 13/06 não é feriado em nenhum dos municípios da cobertura da Observador, mas adiante, assumamos que é o da Amadora.

É um exemplo, vale o que vale, mas o que acha que sente um portuense ao ouvir uma bacorada destas? Acha que isto os aproxima ao auditório?

Dou por mim, por vezes, a não ter o pedigree social para escutar alguns espaços da Rádio Observador.
Essa gente esquece-se ou prefere esquecer que as festas populares, como a própria designação indica, nasceram pela acção do povo e o fenómeno turístico em torno delas é bem recente e, de certa forma, tende a descaracterizar aquelas alturas do ano em que o povo, motivado por razões religiosas, esquecia por momentos todas as suas dificuldades do quotidiano para celebrar a vida em honra dos seus Santos Padroeiros.
É assim em Lisboa, no Porto e em muitos locais do nosso país, havendo as suas devidas idiossincrasias.

Mas depois de escutar prosaicos argumentos sobre a indumentária que as senhoras cabeças de lista ao parlamento levavam para o debate das rádios, creio que está tudo explicado.
«O que acontece no Mundo é que toda a gente que nasce, nasce de alguma maneira poeta! Inventor de algo que não havia no Mundo antes de eles nascerem!
E inteiramente individual: cada um poeta que é!»

Agostinho da Silva

pdf

  • Administrator
  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 716
Re: Rádio Observador
« Responder #2733 em: Junho 16, 2024, 12:43:30 pm »
Isto pode ser muito injusto da minha parte, mas a classe média alta/alta da bolha lisboeta tem sempre uma falta de mundo enorme.

Uma dessas pessoas, quando lhe disse que andava a ver casas em Moscavide, soltou a mais assombrosa das exclamações: "ai mas isso é no fim do mundooooo".

Está tudo dito - desconhecem o país real e apenas se movem no eixo linha de Cascais - baixa - Bairro Alto - Príncipe Real e pouco mais. Talvez um saltinho à Av. da Igreja para tomar um chá com azzzamigas.

Tudo o resto é torpe, sujo, feio, labrego.

Volta Zeca, estás perdoado, às vezes tens razão...

pdnf

  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 5467
  • Foi a Rádio que fez Abril!
Re: Rádio Observador
« Responder #2734 em: Junho 16, 2024, 11:23:43 pm »
Isto pode ser muito injusto da minha parte, mas a classe média alta/alta da bolha lisboeta tem sempre uma falta de mundo enorme.

Uma dessas pessoas, quando lhe disse que andava a ver casas em Moscavide, soltou a mais assombrosa das exclamações: "ai mas isso é no fim do mundooooo".

Está tudo dito - desconhecem o país real e apenas se movem no eixo linha de Cascais - baixa - Bairro Alto - Príncipe Real e pouco mais. Talvez um saltinho à Av. da Igreja para tomar um chá com azzzamigas.

Tudo o resto é torpe, sujo, feio, labrego.

Volta Zeca, estás perdoado, às vezes tens razão...

Completamente. Hoje recebi uma mensagem de uma pessoa que é dessa bolha, mas que até se move muito para lá desse eixo, no estrangeiro, com qualquer coisa como isto: "agora que acabou a época da sardinha assada em Portugal". Eu que nem gosto particularmente de sardinhas e de festinhas populares, e que até vou aproveitar o feriado e fugir para Lisboa, fico logo com o estômago às voltas. E atenção, gosto imenso dessa pessoa, acho que é só mesmo falta de noção. É o país do privilégio. Feliz, ou infelizmente, tivemos a sorte de sermos abençoados com o privilégio de nascer junto ao Douro.
Neste capítulo, o Zeca tem total razão.
Rádio é:
Ir ao fim da Rua, a ligar Portugal, aconteça o que acontecer.
Mais música nova para sentir (e decidir).
Estar no carro, em casa, em todo o lado, só se quiseres.
Saber que se a vida tem uma música, ela passa-a.
É a arte que toca, mais do que música...PESSOAS. Ah, and all that "unique" soul.

Zeca 2021

  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 1089
Re: Rádio Observador
« Responder #2735 em: Junho 17, 2024, 09:43:42 am »
As rádios portuguesas terão todas juntas aproximadamente 5 pessoas na Alemanha...
A Renascença andou a anunciar em antena para aí uns 7 ou 8 nomes que estariam em missão especial de acompanhamento ao Euro, agora se alguns estão na delegação da Buraca ou de Mafamude na Alemanha, isso é outra conversa. Parece-me que será o caso.

Há que perceber a diferença de escala. A audiência das nossas quatro rádios tendencialmente de palavra, todas juntas, não devem chegar aos níveis da Ondacero, mesmo fazendo o ajuste per capita, quanto mais da COPE ou da SER. Não há grande hipótese, a rádio em Portugal é vista como um meio menor, diria que até a imprensa escrita é capaz de ter mais prestígio. Por outro lado, o Estado Novo cultivou uma ideia de rádio muito associada à música, porque era conveniente para o regime. 50 anos depois, ainda não fomos capazes de desbravar terreno nesse aspeto. Agora vou-lhe mandar uma bicada amigável. Sabe porque é que acho que isso também acontece muito? Distância face ao país real.

Na quinta-feira, feriado em Lisboa, ouvi na Observador uma bacorada tão grande, que achei mesmo lamentável. Neste caso, da convidada do contra corrente, Maria Pignatelli. A Carla Jorge de Carvalho, a dada altura, questiona-a se encontra grandes diferenças entre os festejos de Santo António em Lisboa e de São João no Porto. Qualquer pessoa que conheça minimamente as duas cidades compreende que descontadas as diferenças são ambas festas populares de massas, em Lisboa as marchas são mais expressivas e no Porto há os martelinhos. Eis a resposta da convidada: as festividades de Lisboa são essencialmente urbanas e cultas, as do Porto são totalmente rurais e associadas aos assalariados. Desculpem, deixem-me ser adolescente: LOLOL!
Isto segundos depois de ter referido como exemplo a Madragoa que tem raízes profundas na comunidade Vareira e piscatória de Ovar, o que é verdade, e que isso acontecia com a maioria dos bairros, relativamente a outros concelhos do país.

O tema do contra-corrente, já de si relevantíssimo, eram as festividades de Santo António. Começo já por dizer que espero que façam o mesmo no dia 24/06, São João, é feriado em Vila do Conde onde têm o emissor, e também no dia 29/06, São Pedro, é feriado no Seixal. Por acaso, 13/06 não é feriado em nenhum dos municípios da cobertura da Observador, mas adiante, assumamos que é o da Amadora.

É um exemplo, vale o que vale, mas o que acha que sente um portuense ao ouvir uma bacorada destas? Acha que isto os aproxima ao auditório?

E novidades da Observador e das rádios que gravitam em redor da Capital ? Mas ainda se admiram da visão doentia do país para quem vive na bolha da rádio e tv lisboeta ? Só quem nunca viveu em Lisboa é que se admira que fora de um raio de 82km2 é tudo parolo e rural. Mas, ainda não satisfeitos, hoje surge mais uma tv lisboeta, para se juntar a tanta e tanta tv sediada no foral lisboeta.

O Bigode do Sala

  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 809
Re: Rádio Observador
« Responder #2736 em: Junho 17, 2024, 11:26:02 am »
As rádios portuguesas terão todas juntas aproximadamente 5 pessoas na Alemanha...
A Renascença andou a anunciar em antena para aí uns 7 ou 8 nomes que estariam em missão especial de acompanhamento ao Euro, agora se alguns estão na delegação da Buraca ou de Mafamude na Alemanha, isso é outra conversa. Parece-me que será o caso.

Há que perceber a diferença de escala. A audiência das nossas quatro rádios tendencialmente de palavra, todas juntas, não devem chegar aos níveis da Ondacero, mesmo fazendo o ajuste per capita, quanto mais da COPE ou da SER. Não há grande hipótese, a rádio em Portugal é vista como um meio menor, diria que até a imprensa escrita é capaz de ter mais prestígio. Por outro lado, o Estado Novo cultivou uma ideia de rádio muito associada à música, porque era conveniente para o regime. 50 anos depois, ainda não fomos capazes de desbravar terreno nesse aspeto. Agora vou-lhe mandar uma bicada amigável. Sabe porque é que acho que isso também acontece muito? Distância face ao país real.

Na quinta-feira, feriado em Lisboa, ouvi na Observador uma bacorada tão grande, que achei mesmo lamentável. Neste caso, da convidada do contra corrente, Maria Pignatelli. A Carla Jorge de Carvalho, a dada altura, questiona-a se encontra grandes diferenças entre os festejos de Santo António em Lisboa e de São João no Porto. Qualquer pessoa que conheça minimamente as duas cidades compreende que descontadas as diferenças são ambas festas populares de massas, em Lisboa as marchas são mais expressivas e no Porto há os martelinhos. Eis a resposta da convidada: as festividades de Lisboa são essencialmente urbanas e cultas, as do Porto são totalmente rurais e associadas aos assalariados. Desculpem, deixem-me ser adolescente: LOLOL!
Isto segundos depois de ter referido como exemplo a Madragoa que tem raízes profundas na comunidade Vareira e piscatória de Ovar, o que é verdade, e que isso acontecia com a maioria dos bairros, relativamente a outros concelhos do país.

O tema do contra-corrente, já de si relevantíssimo, eram as festividades de Santo António. Começo já por dizer que espero que façam o mesmo no dia 24/06, São João, é feriado em Vila do Conde onde têm o emissor, e também no dia 29/06, São Pedro, é feriado no Seixal. Por acaso, 13/06 não é feriado em nenhum dos municípios da cobertura da Observador, mas adiante, assumamos que é o da Amadora.

É um exemplo, vale o que vale, mas o que acha que sente um portuense ao ouvir uma bacorada destas? Acha que isto os aproxima ao auditório?

E novidades da Observador e das rádios que gravitam em redor da Capital ? Mas ainda se admiram da visão doentia do país para quem vive na bolha da rádio e tv lisboeta ? Só quem nunca viveu em Lisboa é que se admira que fora de um raio de 82km2 é tudo parolo e rural. Mas, ainda não satisfeitos, hoje surge mais uma tv lisboeta, para se juntar a tanta e tanta tv sediada no foral lisboeta.

Conheço bem a arrogância alfacinha, muita dela vinda de gente que tem raízes em várias partes da «província», expressão que abomino pois o resto do país não é anexo de Lisboa.

Para alguma dessa aristocracia baboca, o país acaba nas Portagens de Alverca, a Margem Sul é um deserto e tudo gravita entre Belém e o Parque das Nações, havendo mesmo partes da própria cidade que essa estirpe de alfacinhas desconhecem por completo, como a freguesia de Santa Clara.

Apesar de não gostar e de achar essas guerrilhas Lisboa vs Porto ultrapassadas e um pouco como uma luta de dois grandes num ringue cheio de verdadeiros «pequenos»... Zeca, aqui tem toda a razão!
«O que acontece no Mundo é que toda a gente que nasce, nasce de alguma maneira poeta! Inventor de algo que não havia no Mundo antes de eles nascerem!
E inteiramente individual: cada um poeta que é!»

Agostinho da Silva

Zeca 2021

  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 1089
Re: Rádio Observador
« Responder #2737 em: Junho 17, 2024, 01:47:24 pm »
Mas alguem acha que a RR/Antena 1 ou a Observador vão fazer alguma coisa em direto desde o Porto por causa do S. João ou emissão dedicada aos santos Populares? Tenham juizo. Só dá Lisboa, Lisboa. Quem é que eles iam colocar no S. João? Alfacinhas? São rádios reduzidas à Capital com o titulo de "nacionais"

Boxx

  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 938
Re: Rádio Observador
« Responder #2738 em: Junho 17, 2024, 07:52:48 pm »
Mas alguem acha que a RR/Antena 1 ou a Observador vão fazer alguma coisa em direto desde o Porto por causa do S. João ou emissão dedicada aos santos Populares? Tenham juizo. Só dá Lisboa, Lisboa. Quem é que eles iam colocar no S. João? Alfacinhas? São rádios reduzidas à Capital com o titulo de "nacionais"

Nem a Festival, Nova ou Nova Era o fazem, muito menos a corte Lisboeta...

Zeca 2021

  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 1089
Re: Rádio Observador
« Responder #2739 em: Junho 17, 2024, 10:29:08 pm »
Mas alguem acha que a RR/Antena 1 ou a Observador vão fazer alguma coisa em direto desde o Porto por causa do S. João ou emissão dedicada aos santos Populares? Tenham juizo. Só dá Lisboa, Lisboa. Quem é que eles iam colocar no S. João? Alfacinhas? São rádios reduzidas à Capital com o titulo de "nacionais"

Nem a Festival, Nova ou Nova Era o fazem, muito menos a corte Lisboeta...
Se as ditas nacionais promovem o santo popular lisboeta, devem o fazer para santo popular portuense. Se não for assim, de nacional pouco têm, são locais de Lisboa.

Atento

  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 5883
Re: Rádio Observador
« Responder #2740 em: Junho 17, 2024, 10:34:22 pm »
Mas alguem acha que a RR/Antena 1 ou a Observador vão fazer alguma coisa em direto desde o Porto por causa do S. João ou emissão dedicada aos santos Populares? Tenham juizo. Só dá Lisboa, Lisboa. Quem é que eles iam colocar no S. João? Alfacinhas? São rádios reduzidas à Capital com o titulo de "nacionais"

Nem a Festival, Nova ou Nova Era o fazem, muito menos a corte Lisboeta...
Se as ditas nacionais promovem o santo popular lisboeta, devem o fazer para santo popular portuense. Se não for assim, de nacional pouco têm, são locais de Lisboa.


Tenha calma!!!!


A RTP vai dar horas e horas acerca da festa do São João a partir de Gaia  e do Porto...

Depois há o São Pedro a partir da Póvoa de Varzim.

Zeca 2021

  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 1089
Re: Rádio Observador
« Responder #2741 em: Junho 19, 2024, 02:21:15 pm »
Mas alguem acha que a RR/Antena 1 ou a Observador vão fazer alguma coisa em direto desde o Porto por causa do S. João ou emissão dedicada aos santos Populares? Tenham juizo. Só dá Lisboa, Lisboa. Quem é que eles iam colocar no S. João? Alfacinhas? São rádios reduzidas à Capital com o titulo de "nacionais"

Nem a Festival, Nova ou Nova Era o fazem, muito menos a corte Lisboeta...
Se as ditas nacionais promovem o santo popular lisboeta, devem o fazer para santo popular portuense. Se não for assim, de nacional pouco têm, são locais de Lisboa.


Tenha calma!!!!



A RTP vai dar horas e horas acerca da festa do São João a partir de Gaia  e do Porto...

Depois há o São Pedro a partir da Póvoa de Varzim.

Peço desculpa. Pensei que esta era um forum sobre rádio.

Atento

  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 5883
Re: Rádio Observador
« Responder #2742 em: Junho 19, 2024, 03:46:33 pm »
Mas alguem acha que a RR/Antena 1 ou a Observador vão fazer alguma coisa em direto desde o Porto por causa do S. João ou emissão dedicada aos santos Populares? Tenham juizo. Só dá Lisboa, Lisboa. Quem é que eles iam colocar no S. João? Alfacinhas? São rádios reduzidas à Capital com o titulo de "nacionais"

Nem a Festival, Nova ou Nova Era o fazem, muito menos a corte Lisboeta...
Se as ditas nacionais promovem o santo popular lisboeta, devem o fazer para santo popular portuense. Se não for assim, de nacional pouco têm, são locais de Lisboa.


Tenha calma!!!!



A RTP vai dar horas e horas acerca da festa do São João a partir de Gaia  e do Porto...

Depois há o São Pedro a partir da Póvoa de Varzim.

Peço desculpa. Pensei que esta era um forum sobre rádio.

Há grupos que também têm no seu portfólio a tv - é  o caso do grupo RTP...
« Última modificação: Junho 19, 2024, 03:49:40 pm por Atento »

Zeca 2021

  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 1089
Re: Rádio Observador
« Responder #2743 em: Junho 20, 2024, 11:58:45 am »
Mas alguem acha que a RR/Antena 1 ou a Observador vão fazer alguma coisa em direto desde o Porto por causa do S. João ou emissão dedicada aos santos Populares? Tenham juizo. Só dá Lisboa, Lisboa. Quem é que eles iam colocar no S. João? Alfacinhas? São rádios reduzidas à Capital com o titulo de "nacionais"

Nem a Festival, Nova ou Nova Era o fazem, muito menos a corte Lisboeta...
Se as ditas nacionais promovem o santo popular lisboeta, devem o fazer para santo popular portuense. Se não for assim, de nacional pouco têm, são locais de Lisboa.


Tenha calma!!!!



A RTP vai dar horas e horas acerca da festa do São João a partir de Gaia  e do Porto...

Depois há o São Pedro a partir da Póvoa de Varzim.

Peço desculpa. Pensei que esta era um forum sobre rádio.

Há grupos que também têm no seu portfólio a tv - é  o caso do grupo RTP...

Volto a pedir desculpa. Pensei que estava a falar da Antena 1, 2, 3 Africa ou Internacional mas pelos visto é da RTP.

jmmp

  • Newbie
  • *
  • Mensagens: 2
Re: Rádio Observador
« Responder #2744 em: Junho 20, 2024, 12:03:16 pm »
Acaba de terminar a edição de hoje do Contra-corrente, que fui tentando ouvir, na medida do que os meus afazeres profissionais foram permitindo. À boleia dos exames de Português do 9.º ano, teve lugar uma excelente conversa sobre a realidade do Ensino (sobretudo Básico e Secundário) em Portugal. Fazer refletir, é este a meu ver o objetivo principal da Rádio! Algo que a Antena 1 devia fazer, mas aparentemente a missão do Serviço Público é encher chouriços, na companhia das Comerciais e RFMs da vida  ;D

jmmp