Autor Tópico: Novas frequências para a TDT  (Lida 1620 vezes)

joao_s

  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 853
Novas frequências para a TDT
« em: Fevereiro 17, 2016, 08:20:52 pm »
No setor da radiodifusão, o dimensionamento da área de cobertura dos emissores/ abrangência territorial dos sinais permanece idêntico há 30 anos, enquanto que, nas emissões televisivas, perspetivam-se duas mudanças em menos de 15 anos. Esta semana conheceram-se novas alterações nas frequências utilizadas para difusão da TDT, a acontecer nos próximos 6 anos. A razão prende-se com a libertação de uma faixa de frequências para as futuras redes de comunicações ‘5G’, cf link subsequente:

« Última modificação: Maio 19, 2023, 12:26:04 pm por AG »

Luis Carvalho

  • Administrator
  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 1376
  • Façam a TSF Grande Outra Vez!
Re: Novas frequências para a TDT
« Responder #1 em: Fevereiro 18, 2016, 02:36:01 pm »
Diria que o "problema" chama-se Europa. Porque,  à boa moda portuguesa, muitas vezes segue-se a filosofia do "se não vale a pena mexer, não se mexe". Excepto quando as mudanças são impostas a nível europeu.

Em todo o caso,  é como bem referiram na Exame Informática, o verdadeiro problema vai surgir quando se ambicionar larguras de banda muito superiores às actuais. Ora, as faixas UHF são demasiadamente pequenas para serem exploradas pelos ISPs de forma a assegurar taxas de transferência de dados muito elevadas. Resta utilizar outra faixa do espectro... Sabendo-se que,  quanto mais elevada a frequência,  menor será o comprimento de onda (lambda, deste cenário depreende-se imediatamente que a alternativa será a utilização de frequências muito mais elevadas. Ora,  a relação entre o comprimento de onda e o alcance de determinada emissão conhecemo-la bem: frequências muito altas são muito susceptíveis à presença de perturbações entre a antena emissora e a receptora.  Com lambdas na ordem dos centímetros, até uma chuvada pode prejudicar seriamente a comunicação - basta ver as emissões via satélite. Por muita tecnologia que se aplique,  duvido que se consiga assegurar serviços de enorme débito de dados sem o recurso a um grande número de células - literalmente, uma antena como as dos telemóveis, a cada 100m de raio a cobrir. Bem, quantas antenas seriam necessárias para servir a esmagadora maioria da população portuguesa?
Cumprimentos,
Luís Carvalho

Administrador do "Fórum da Rádio"