Autor Tópico: Novo Canal «Infotainment» da TVI  (Lida 572 vezes)

O Bigode do Sala

  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 798
Novo Canal «Infotainment» da TVI
« em: Julho 03, 2024, 10:07:35 am »
Segundo o director Nuno Santos, a Média Capital irá seguir as passadas da concorrente Medialivre e reconfigurar o actual TVI Ficção para um canal de entretenimento e informação, ao que tudo indica, semelhante à CMTV.

Se considerarmos estes dois como canais de informação (isso tem muito que se lhe diga), será que Portugal tem capacidade para 5 canais noticiosos?

E a rádio? Será que isto não vai afectar a TSF, a Rádio Observador e, diria mesmo, as generalistas Antena 1 e Rádio Renascença?

Fonte: https://www.publico.pt/2024/07/02/sociedade/noticia/grupo-tvi-prepara-lancamento-novo-canal-2096107
«O que acontece no Mundo é que toda a gente que nasce, nasce de alguma maneira poeta! Inventor de algo que não havia no Mundo antes de eles nascerem!
E inteiramente individual: cada um poeta que é!»

Agostinho da Silva

pdnf

  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 5460
  • Foi a Rádio que fez Abril!
Re: Novo Canal «Infotainment» da TVI
« Responder #1 em: Julho 03, 2024, 10:23:08 am »
TV e rádio são bens complementares. So digo é que quem tiver a ousadia de dar o primeiro passo e avançar para uma rádio ao estilo CMTV, intercalando com uma playlist entre a FESTIVAL, AMÁLIA e NOAR vai motder os calcanhares nas audiências a muitas rádios. Essa rádionprecisa de emissores em Lisboa e Porto, mas tem denir também para o Portugal Profundo. Quem ousar meter um emissor de uma estação desse tipo numa parte do interior pode ambicionar liderar por essas bandas, se tiver alcance.
Rádio é:
Ir ao fim da Rua, a ligar Portugal, aconteça o que acontecer.
Mais música nova para sentir (e decidir).
Estar no carro, em casa, em todo o lado, só se quiseres.
Saber que se a vida tem uma música, ela passa-a.
É a arte que toca, mais do que música...PESSOAS. Ah, and all that "unique" soul.

Atento

  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 5880
Re: Novo Canal «Infotainment» da TVI
« Responder #2 em: Julho 03, 2024, 10:34:17 am »
Segundo o director Nuno Santos, a Média Capital irá seguir as passadas da concorrente Medialivre e reconfigurar o actual TVI Ficção para um canal de entretenimento e informação, ao que tudo indica, semelhante à CMTV.

Se considerarmos estes dois como canais de informação (isso tem muito que se lhe diga), será que Portugal tem capacidade para 5 canais noticiosos?

E a rádio? Será que isto não vai afectar a TSF, a Rádio Observador e, diria mesmo, as generalistas Antena 1 e Rádio Renascença?

Fonte: https://www.publico.pt/2024/07/02/sociedade/noticia/grupo-tvi-prepara-lancamento-novo-canal-2096107


A rádio tem de dar ao pedale ...

Às tantas vão pelo caminho mais fácil,  ou seja, mais música a metro...


ruicleto

  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 695
Re: Novo Canal «Infotainment» da TVI
« Responder #3 em: Julho 03, 2024, 11:00:18 am »
Segundo o director Nuno Santos, a Média Capital irá seguir as passadas da concorrente Medialivre e reconfigurar o actual TVI Ficção para um canal de entretenimento e informação, ao que tudo indica, semelhante à CMTV.

Se considerarmos estes dois como canais de informação (isso tem muito que se lhe diga), será que Portugal tem capacidade para 5 canais noticiosos?

E a rádio? Será que isto não vai afectar a TSF, a Rádio Observador e, diria mesmo, as generalistas Antena 1 e Rádio Renascença?

Fonte: https://www.publico.pt/2024/07/02/sociedade/noticia/grupo-tvi-prepara-lancamento-novo-canal-2096107

Julgo que são canais de informação a mais, com mais comentadores (a mais), em detrimento da diversidade. Parece idêntico à minha perceção de que em Portugal só temos restaurantes e lojas de roupa, porta sim porta não...

O Bigode do Sala

  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 798
Re: Novo Canal «Infotainment» da TVI
« Responder #4 em: Julho 03, 2024, 12:58:45 pm »
Segundo o director Nuno Santos, a Média Capital irá seguir as passadas da concorrente Medialivre e reconfigurar o actual TVI Ficção para um canal de entretenimento e informação, ao que tudo indica, semelhante à CMTV.

Se considerarmos estes dois como canais de informação (isso tem muito que se lhe diga), será que Portugal tem capacidade para 5 canais noticiosos?

E a rádio? Será que isto não vai afectar a TSF, a Rádio Observador e, diria mesmo, as generalistas Antena 1 e Rádio Renascença?

Fonte: https://www.publico.pt/2024/07/02/sociedade/noticia/grupo-tvi-prepara-lancamento-novo-canal-2096107

Julgo que são canais de informação a mais, com mais comentadores (a mais), em detrimento da diversidade. Parece idêntico à minha perceção de que em Portugal só temos restaurantes e lojas de roupa, porta sim porta não...

Estou consigo, caro ruicleto.
Devemos ser dos países da União Europeia com maior rácio de canais de televisão noticiosos/habitantes.
Em muitos casos, chega a ser constrangedor. Nas generalistas, desde de sermões de pivôs, a telejornais com 01h45m, a outras situações caricatas como palavrões em directo.
No cabo, desde do autêntico disco riscado entre noticiários que encontramos na «muito azul e simplista» RTP3, a uma pilha de comentadores que se revezam entre as privadas, sendo expertos em assuntos tão variados como as guerras na Ucrânia e na Palestina, até a sorteios da Taça de Portugal da FPF.
Para não falar dos políticos que vêem um bom complemento ao seu ordenado de deputados, repetindo as cassetes dos seus partidos nas televisões (às vezes, alegadamente, em regime de falsa exclusividade). Há para todos os gostos. Desde moderados, a «chalupas», educados ou que transformam o espaço num autêntico ruído.
Sem esquecer que, para a luta pelas audiências ser plena, valem supostas afinidades entre um ou outro jornalista «credível» e altas esferas em órgãos de soberania, tornando o jornalismo que se quer sério e sem amarras, alegadamente, dependente dessas mesmas fontes.

E no final do dia? O que fica?

Em contraciclo, temos falta de informação pura e dura na rádio. Seja por condicionamentos financeiros e/ou falta de aposta, a rádio, como diz o Atento, tem que dar ao chinelo!
Mas também vos digo. A determinada altura da pandemia, passei a seleccionar bem as minhas fontes de informação, as quais primordialmente eram os noticiários da Antena 1, em simultâneo na Antena 3 (eram um pouco mais alargados que hoje, mas em 20 minutos sabia o que precisava) e a alguma imprensa que considero relevante e leal.
Falando da rádio, é muito mais difícil ludibriar o público só com o som e «a verdade» das palavras é mais pura neste meio.

Talvez isto explique o cenário dantesco que pintei nesta publicação!
«O que acontece no Mundo é que toda a gente que nasce, nasce de alguma maneira poeta! Inventor de algo que não havia no Mundo antes de eles nascerem!
E inteiramente individual: cada um poeta que é!»

Agostinho da Silva

nelsonsoares

  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 409
Re: Novo Canal «Infotainment» da TVI
« Responder #5 em: Julho 03, 2024, 01:39:18 pm »
Segundo o director Nuno Santos, a Média Capital irá seguir as passadas da concorrente Medialivre e reconfigurar o actual TVI Ficção para um canal de entretenimento e informação, ao que tudo indica, semelhante à CMTV.

Se considerarmos estes dois como canais de informação (isso tem muito que se lhe diga), será que Portugal tem capacidade para 5 canais noticiosos?

E a rádio? Será que isto não vai afectar a TSF, a Rádio Observador e, diria mesmo, as generalistas Antena 1 e Rádio Renascença?

Fonte: https://www.publico.pt/2024/07/02/sociedade/noticia/grupo-tvi-prepara-lancamento-novo-canal-2096107

Julgo que são canais de informação a mais, com mais comentadores (a mais), em detrimento da diversidade. Parece idêntico à minha perceção de que em Portugal só temos restaurantes e lojas de roupa, porta sim porta não...

Estou consigo, caro ruicleto.
Devemos ser dos países da União Europeia com maior rácio de canais de televisão noticiosos/habitantes.
Em muitos casos, chega a ser constrangedor. Nas generalistas, desde de sermões de pivôs, a telejornais com 01h45m, a outras situações caricatas como palavrões em directo.
No cabo, desde do autêntico disco riscado entre noticiários que encontramos na «muito azul e simplista» RTP3, a uma pilha de comentadores que se revezam entre as privadas, sendo expertos em assuntos tão variados como as guerras na Ucrânia e na Palestina, até a sorteios da Taça de Portugal da FPF.
Para não falar dos políticos que vêem um bom complemento ao seu ordenado de deputados, repetindo as cassetes dos seus partidos nas televisões (às vezes, alegadamente, em regime de falsa exclusividade). Há para todos os gostos. Desde moderados, a «chalupas», educados ou que transformam o espaço num autêntico ruído.
Sem esquecer que, para a luta pelas audiências ser plena, valem supostas afinidades entre um ou outro jornalista «credível» e altas esferas em órgãos de soberania, tornando o jornalismo que se quer sério e sem amarras, alegadamente, dependente dessas mesmas fontes.

E no final do dia? O que fica?

Em contraciclo, temos falta de informação pura e dura na rádio. Seja por condicionamentos financeiros e/ou falta de aposta, a rádio, como diz o Atento, tem que dar ao chinelo!
Mas também vos digo. A determinada altura da pandemia, passei a seleccionar bem as minhas fontes de informação, as quais primordialmente eram os noticiários da Antena 1, em simultâneo na Antena 3 (eram um pouco mais alargados que hoje, mas em 20 minutos sabia o que precisava) e a alguma imprensa que considero relevante e leal.
Falando da rádio, é muito mais difícil ludibriar o público só com o som e «a verdade» das palavras é mais pura neste meio.

Talvez isto explique o cenário dantesco que pintei nesta publicação!
Para complementar, em Espanha só há 1 canal de notícias ??????

ruicleto

  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 695
Re: Novo Canal «Infotainment» da TVI
« Responder #6 em: Julho 03, 2024, 02:24:00 pm »
Segundo o director Nuno Santos, a Média Capital irá seguir as passadas da concorrente Medialivre e reconfigurar o actual TVI Ficção para um canal de entretenimento e informação, ao que tudo indica, semelhante à CMTV.

Se considerarmos estes dois como canais de informação (isso tem muito que se lhe diga), será que Portugal tem capacidade para 5 canais noticiosos?

E a rádio? Será que isto não vai afectar a TSF, a Rádio Observador e, diria mesmo, as generalistas Antena 1 e Rádio Renascença?

Fonte: https://www.publico.pt/2024/07/02/sociedade/noticia/grupo-tvi-prepara-lancamento-novo-canal-2096107

Julgo que são canais de informação a mais, com mais comentadores (a mais), em detrimento da diversidade. Parece idêntico à minha perceção de que em Portugal só temos restaurantes e lojas de roupa, porta sim porta não...

Estou consigo, caro ruicleto.
Devemos ser dos países da União Europeia com maior rácio de canais de televisão noticiosos/habitantes.
Em muitos casos, chega a ser constrangedor. Nas generalistas, desde de sermões de pivôs, a telejornais com 01h45m, a outras situações caricatas como palavrões em directo.
No cabo, desde do autêntico disco riscado entre noticiários que encontramos na «muito azul e simplista» RTP3, a uma pilha de comentadores que se revezam entre as privadas, sendo expertos em assuntos tão variados como as guerras na Ucrânia e na Palestina, até a sorteios da Taça de Portugal da FPF.
Para não falar dos políticos que vêem um bom complemento ao seu ordenado de deputados, repetindo as cassetes dos seus partidos nas televisões (às vezes, alegadamente, em regime de falsa exclusividade). Há para todos os gostos. Desde moderados, a «chalupas», educados ou que transformam o espaço num autêntico ruído.
Sem esquecer que, para a luta pelas audiências ser plena, valem supostas afinidades entre um ou outro jornalista «credível» e altas esferas em órgãos de soberania, tornando o jornalismo que se quer sério e sem amarras, alegadamente, dependente dessas mesmas fontes.

E no final do dia? O que fica?

Em contraciclo, temos falta de informação pura e dura na rádio. Seja por condicionamentos financeiros e/ou falta de aposta, a rádio, como diz o Atento, tem que dar ao chinelo!
Mas também vos digo. A determinada altura da pandemia, passei a seleccionar bem as minhas fontes de informação, as quais primordialmente eram os noticiários da Antena 1, em simultâneo na Antena 3 (eram um pouco mais alargados que hoje, mas em 20 minutos sabia o que precisava) e a alguma imprensa que considero relevante e leal.
Falando da rádio, é muito mais difícil ludibriar o público só com o som e «a verdade» das palavras é mais pura neste meio.

Talvez isto explique o cenário dantesco que pintei nesta publicação!
Para complementar, em Espanha só há 1 canal de notícias ??????
Confesso que gosto muito do noticiário da RTP 2, que é resumido ao essencial e com comentadores sem qualquer excesso...

O Bigode do Sala

  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 798
Re: Novo Canal «Infotainment» da TVI
« Responder #7 em: Julho 03, 2024, 02:34:29 pm »
Segundo o director Nuno Santos, a Média Capital irá seguir as passadas da concorrente Medialivre e reconfigurar o actual TVI Ficção para um canal de entretenimento e informação, ao que tudo indica, semelhante à CMTV.

Se considerarmos estes dois como canais de informação (isso tem muito que se lhe diga), será que Portugal tem capacidade para 5 canais noticiosos?

E a rádio? Será que isto não vai afectar a TSF, a Rádio Observador e, diria mesmo, as generalistas Antena 1 e Rádio Renascença?

Fonte: https://www.publico.pt/2024/07/02/sociedade/noticia/grupo-tvi-prepara-lancamento-novo-canal-2096107

Julgo que são canais de informação a mais, com mais comentadores (a mais), em detrimento da diversidade. Parece idêntico à minha perceção de que em Portugal só temos restaurantes e lojas de roupa, porta sim porta não...

Estou consigo, caro ruicleto.
Devemos ser dos países da União Europeia com maior rácio de canais de televisão noticiosos/habitantes.
Em muitos casos, chega a ser constrangedor. Nas generalistas, desde de sermões de pivôs, a telejornais com 01h45m, a outras situações caricatas como palavrões em directo.
No cabo, desde do autêntico disco riscado entre noticiários que encontramos na «muito azul e simplista» RTP3, a uma pilha de comentadores que se revezam entre as privadas, sendo expertos em assuntos tão variados como as guerras na Ucrânia e na Palestina, até a sorteios da Taça de Portugal da FPF.
Para não falar dos políticos que vêem um bom complemento ao seu ordenado de deputados, repetindo as cassetes dos seus partidos nas televisões (às vezes, alegadamente, em regime de falsa exclusividade). Há para todos os gostos. Desde moderados, a «chalupas», educados ou que transformam o espaço num autêntico ruído.
Sem esquecer que, para a luta pelas audiências ser plena, valem supostas afinidades entre um ou outro jornalista «credível» e altas esferas em órgãos de soberania, tornando o jornalismo que se quer sério e sem amarras, alegadamente, dependente dessas mesmas fontes.

E no final do dia? O que fica?

Em contraciclo, temos falta de informação pura e dura na rádio. Seja por condicionamentos financeiros e/ou falta de aposta, a rádio, como diz o Atento, tem que dar ao chinelo!
Mas também vos digo. A determinada altura da pandemia, passei a seleccionar bem as minhas fontes de informação, as quais primordialmente eram os noticiários da Antena 1, em simultâneo na Antena 3 (eram um pouco mais alargados que hoje, mas em 20 minutos sabia o que precisava) e a alguma imprensa que considero relevante e leal.
Falando da rádio, é muito mais difícil ludibriar o público só com o som e «a verdade» das palavras é mais pura neste meio.

Talvez isto explique o cenário dantesco que pintei nesta publicação!
Para complementar, em Espanha só há 1 canal de notícias ??????
Confesso que gosto muito do noticiário da RTP 2, que é resumido ao essencial e com comentadores sem qualquer excesso...

O melhor noticiário deste país! Tem a duração certa, incide mais sobre o internacional e nas artes, tendo um punhado de entrevistas bem interessantes com membros da sociedade civil.
Do Monte da Virgem, também gosto do Jornal da Tarde e, de Lisboa, do Portugal em Directo, apresentado pela Mestre Dina Aguiar. Creio que a RTP2 deveria ter um jornal cultural nos moldes do antigo Acontece (que sucedia os desenhos animados)... talvez, mais barato. xD
«O que acontece no Mundo é que toda a gente que nasce, nasce de alguma maneira poeta! Inventor de algo que não havia no Mundo antes de eles nascerem!
E inteiramente individual: cada um poeta que é!»

Agostinho da Silva

Zeca 2021

  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 1084
Re: Novo Canal «Infotainment» da TVI
« Responder #8 em: Julho 13, 2024, 12:53:59 pm »
Segundo o director Nuno Santos, a Média Capital irá seguir as passadas da concorrente Medialivre e reconfigurar o actual TVI Ficção para um canal de entretenimento e informação, ao que tudo indica, semelhante à CMTV.

Se considerarmos estes dois como canais de informação (isso tem muito que se lhe diga), será que Portugal tem capacidade para 5 canais noticiosos?

E a rádio? Será que isto não vai afectar a TSF, a Rádio Observador e, diria mesmo, as generalistas Antena 1 e Rádio Renascença?

Fonte: https://www.publico.pt/2024/07/02/sociedade/noticia/grupo-tvi-prepara-lancamento-novo-canal-2096107

Julgo que são canais de informação a mais, com mais comentadores (a mais), em detrimento da diversidade. Parece idêntico à minha perceção de que em Portugal só temos restaurantes e lojas de roupa, porta sim porta não...

Estou consigo, caro ruicleto.
Devemos ser dos países da União Europeia com maior rácio de canais de televisão noticiosos/habitantes.
Em muitos casos, chega a ser constrangedor. Nas generalistas, desde de sermões de pivôs, a telejornais com 01h45m, a outras situações caricatas como palavrões em directo.
No cabo, desde do autêntico disco riscado entre noticiários que encontramos na «muito azul e simplista» RTP3, a uma pilha de comentadores que se revezam entre as privadas, sendo expertos em assuntos tão variados como as guerras na Ucrânia e na Palestina, até a sorteios da Taça de Portugal da FPF.
Para não falar dos políticos que vêem um bom complemento ao seu ordenado de deputados, repetindo as cassetes dos seus partidos nas televisões (às vezes, alegadamente, em regime de falsa exclusividade). Há para todos os gostos. Desde moderados, a «chalupas», educados ou que transformam o espaço num autêntico ruído.
Sem esquecer que, para a luta pelas audiências ser plena, valem supostas afinidades entre um ou outro jornalista «credível» e altas esferas em órgãos de soberania, tornando o jornalismo que se quer sério e sem amarras, alegadamente, dependente dessas mesmas fontes.

E no final do dia? O que fica?

Em contraciclo, temos falta de informação pura e dura na rádio. Seja por condicionamentos financeiros e/ou falta de aposta, a rádio, como diz o Atento, tem que dar ao chinelo!
Mas também vos digo. A determinada altura da pandemia, passei a seleccionar bem as minhas fontes de informação, as quais primordialmente eram os noticiários da Antena 1, em simultâneo na Antena 3 (eram um pouco mais alargados que hoje, mas em 20 minutos sabia o que precisava) e a alguma imprensa que considero relevante e leal.
Falando da rádio, é muito mais difícil ludibriar o público só com o som e «a verdade» das palavras é mais pura neste meio.

Talvez isto explique o cenário dantesco que pintei nesta publicação!

" Na muito azul RTP3 " ?
Alguma indirecta ao FcPorto?
A RTP 3 apenas tem 5 horas desde o Porto. As restantes 19 são desde Lisboa.
O mais engraçado é que na RTP Porto manda o benfiquista de Paredes Carlos Daniel e se lhe fosse dizer quantos portistas jornalistas e comentadores estão na RTP Porto até se ria.

Atento

  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 5880
Re: Novo Canal «Infotainment» da TVI
« Responder #9 em: Julho 13, 2024, 12:59:40 pm »
Segundo o director Nuno Santos, a Média Capital irá seguir as passadas da concorrente Medialivre e reconfigurar o actual TVI Ficção para um canal de entretenimento e informação, ao que tudo indica, semelhante à CMTV.

Se considerarmos estes dois como canais de informação (isso tem muito que se lhe diga), será que Portugal tem capacidade para 5 canais noticiosos?

E a rádio? Será que isto não vai afectar a TSF, a Rádio Observador e, diria mesmo, as generalistas Antena 1 e Rádio Renascença?

Fonte: https://www.publico.pt/2024/07/02/sociedade/noticia/grupo-tvi-prepara-lancamento-novo-canal-2096107

Julgo que são canais de informação a mais, com mais comentadores (a mais), em detrimento da diversidade. Parece idêntico à minha perceção de que em Portugal só temos restaurantes e lojas de roupa, porta sim porta não...

Estou consigo, caro ruicleto.
Devemos ser dos países da União Europeia com maior rácio de canais de televisão noticiosos/habitantes.
Em muitos casos, chega a ser constrangedor. Nas generalistas, desde de sermões de pivôs, a telejornais com 01h45m, a outras situações caricatas como palavrões em directo.
No cabo, desde do autêntico disco riscado entre noticiários que encontramos na «muito azul e simplista» RTP3, a uma pilha de comentadores que se revezam entre as privadas, sendo expertos em assuntos tão variados como as guerras na Ucrânia e na Palestina, até a sorteios da Taça de Portugal da FPF.
Para não falar dos políticos que vêem um bom complemento ao seu ordenado de deputados, repetindo as cassetes dos seus partidos nas televisões (às vezes, alegadamente, em regime de falsa exclusividade). Há para todos os gostos. Desde moderados, a «chalupas», educados ou que transformam o espaço num autêntico ruído.
Sem esquecer que, para a luta pelas audiências ser plena, valem supostas afinidades entre um ou outro jornalista «credível» e altas esferas em órgãos de soberania, tornando o jornalismo que se quer sério e sem amarras, alegadamente, dependente dessas mesmas fontes.

E no final do dia? O que fica?

Em contraciclo, temos falta de informação pura e dura na rádio. Seja por condicionamentos financeiros e/ou falta de aposta, a rádio, como diz o Atento, tem que dar ao chinelo!
Mas também vos digo. A determinada altura da pandemia, passei a seleccionar bem as minhas fontes de informação, as quais primordialmente eram os noticiários da Antena 1, em simultâneo na Antena 3 (eram um pouco mais alargados que hoje, mas em 20 minutos sabia o que precisava) e a alguma imprensa que considero relevante e leal.
Falando da rádio, é muito mais difícil ludibriar o público só com o som e «a verdade» das palavras é mais pura neste meio.

Talvez isto explique o cenário dantesco que pintei nesta publicação!

" Na muito azul RTP3 " ?
Alguma indirecta ao FcPorto?
A RTP 3 apenas tem 5 horas desde o Porto. As restantes 19 são desde Lisboa.
O mais engraçado é que na RTP Porto manda o benfiquista de Paredes Carlos Daniel e se lhe fosse dizer quantos portistas jornalistas e comentadores estão na RTP Porto até se ria.


Não é rtp Porto...

É Centro de Produção do Norte.

Boxx

  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 937
Re: Novo Canal «Infotainment» da TVI
« Responder #10 em: Julho 13, 2024, 02:13:33 pm »
Para um Lisboeta, tudo o que fica a Norte de Vila Franca de Xira é by default “Norte “…

Zeca 2021

  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 1084
Re: Novo Canal «Infotainment» da TVI
« Responder #11 em: Julho 13, 2024, 03:57:29 pm »
Para um Lisboeta, tudo o que fica a Norte de Vila Franca de Xira é by default “Norte “…

È um facto, tal como é um facto que os lisboetas são uns verdadeiros provincianos pois não saem do sitio. A maioria não conhece o país. Para quem viveu 25 anos em Lisboa e ainda lá tem que ir todas as semanas é de facto hilariante ver o provincianismo de tanto alfacinha.

Atento

  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 5880
Re: Novo Canal «Infotainment» da TVI
« Responder #12 em: Julho 13, 2024, 04:45:58 pm »
Para um Lisboeta, tudo o que fica a Norte de Vila Franca de Xira é by default “Norte “…

È um facto, tal como é um facto que os lisboetas são uns verdadeiros provincianos pois não saem do sitio. A maioria não conhece o país. Para quem viveu 25 anos em Lisboa e ainda lá tem que ir todas as semanas é de facto hilariante ver o provincianismo de tanto alfacinha.


Eu não disse nenhuma asneira.

Não é rtp porto, Mas Centro de Produção do Norte.

Memorias da Radio

  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 3075
Re: Novo Canal «Infotainment» da TVI
« Responder #13 em: Julho 13, 2024, 04:50:57 pm »
Para um Lisboeta, tudo o que fica a Norte de Vila Franca de Xira é by default “Norte “…

È um facto, tal como é um facto que os lisboetas são uns verdadeiros provincianos pois não saem do sitio. A maioria não conhece o país. Para quem viveu 25 anos em Lisboa e ainda lá tem que ir todas as semanas é de facto hilariante ver o provincianismo de tanto alfacinha.


Eu não disse nenhuma asneira.

Não é rtp porto, Mas Centro de Produção do Norte.

E se fôssemos ser precisos, não era nem RTP Porto nem Centro de Produção do Norte: era RTP Vila Nova de Gaia, que não está no concelho do Porto sequer...

Na placa que vai para a RTP ainda diz lá R.T.P. N e não vejo uma só alma a falar disso também. Etc, etc etc...

Há coisas mais importantes. Está no Porto, serve o Norte e o país, é o que interessa. O resto são opções. Até podia estar em Braga.

Temos novidades quanto a este novo canal: aparentemente alguém registou no INPI uma marca chamada "V+TVI". Cheirinho a Renascença...

nelsonsoares

  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 409
Re: Novo Canal «Infotainment» da TVI
« Responder #14 em: Julho 14, 2024, 04:08:34 pm »
Para um Lisboeta, tudo o que fica a Norte de Vila Franca de Xira é by default “Norte “…
Ninguém que trabalha na RTP a norte, diz que é a RTP Porto, mas sim RTP Norte.
Isto é como a questão do pessoal que vem passar férias ao Algarve. Ninguém diz que vai para Portimão, Tavira ou Monte Gordo (por exemplo). Dizem sempre que vêm para o Algarve. Acho urgente acabar com estes regionalismos bacocos que não nos levam a lado nenhum (se bem que em algumas situações, é justificável as criticas ao centralismo)