Autor Tópico: Antena 3  (Lida 566690 vezes)

O Bigode do Sala

  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 798
Re: Antena 3
« Responder #4380 em: Julho 16, 2024, 04:10:19 pm »
Muito interessante!  8)

https://www.rtp.pt/play/p13370/e783590/tas-onde-mariana


Tudo certo.

Mas há um problema: isto não chega à maioria que deveria chegar.

Há um claro afastamento dos portugueses dos vários canais do grupo rtp...

E qual é a solução?
Privatizar?

Sabe bem que mais nenhuma rádio em Portugal transmite este nível de cultura de forma simples, mas que enriquece sempre quem escuta.

Há um problema sim na RTP-Rádios que se chama falta de promoção, de orçamento (face à RTP1 e RTP3) e isso passa muito por saber promover o digital. E também de ambição!

E lá está... Há uma dictomia tramada. O serviço público não deve ser de nicho, mas também não deve ser banal. Se quiser 40 minutos de música sem parar, oiço uma Rádio Comercial ou uma RFM.

É aterrador ler o Top 5 das estações mais escutadas no Grande Porto. Claro que isso reflecte também o interesse do grande público em assuntos que vão para além da birra que os filhos dos animadores fizeram o fim-de-semana passado.

Se há muita coisa a se fazer na Antena 3?
Sem dúvida! Mas o caminho não é voltar para trás.

Ao longo da minha participação neste fórum, teci fortes críticas ao rumo da estação. Mas há que saber elogiar quando as coisas estão a ser bem feitas.
«O que acontece no Mundo é que toda a gente que nasce, nasce de alguma maneira poeta! Inventor de algo que não havia no Mundo antes de eles nascerem!
E inteiramente individual: cada um poeta que é!»

Agostinho da Silva

Atento

  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 5880
Re: Antena 3
« Responder #4381 em: Julho 16, 2024, 04:18:32 pm »
Muito interessante!  8)

https://www.rtp.pt/play/p13370/e783590/tas-onde-mariana


Tudo certo.

Mas há um problema: isto não chega à maioria que deveria chegar.

Há um claro afastamento dos portugueses dos vários canais do grupo rtp...

E qual é a solução?
Privatizar?

Sabe bem que mais nenhuma rádio em Portugal transmite este nível de cultura de forma simples, mas que enriquece sempre quem escuta.

Há um problema sim na RTP-Rádios que se chama falta de promoção, de orçamento (face à RTP1 e RTP3) e isso passa muito por saber promover o digital. E também de ambição!

E lá está... Há uma dictomia tramada. O serviço público não deve ser de nicho, mas também não deve ser banal. Se quiser 40 minutos de música sem parar, oiço uma Rádio Comercial ou uma RFM.

É aterrador ler o Top 5 das estações mais escutadas no Grande Porto. Claro que isso reflecte também o interesse do grande público em assuntos que vão para além da birra que os filhos dos animadores fizeram o fim-de-semana passado.

Se há muita coisa a se fazer na Antena 3?
Sem dúvida! Mas o caminho não é voltar para trás.

Ao longo da minha participação neste fórum, teci fortes críticas ao rumo da estação. Mas há que saber elogiar quando as coisas estão a ser bem feitas.


O dinheiro não é tudo...

Tem de ver o que é feito internacionalmente...


O desastre do serviço público é circunscrito à Península Ibérica...

Porquê?

pdnf

  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 5458
  • Foi a Rádio que fez Abril!
Re: Antena 3
« Responder #4382 em: Julho 17, 2024, 07:09:22 pm »

E lá está... Há uma dictomia tramada. O serviço público não deve ser de nicho, mas também não deve ser banal. Se quiser 40 minutos de música sem parar, oiço uma Rádio Comercial ou uma RFM.

É aterrador ler o Top 5 das estações mais escutadas no Grande Porto. Claro que isso reflecte também o interesse do grande público em assuntos que vão para além da birra que os filhos dos animadores fizeram o fim-de-semana passado.


É verdade, mas talvez, se a Antena 3 quiser crescer em audiências, vamos ter de ouvir qualquer coisa como isto:

"A partir do próximo dia 32 de mullhembrosto a Antena 3 vai passar, durante algum tempo, a emitir uma programação diferente, em sintonia com as redes das privadas, com a designação de Macro Urbe FM. O grupo RTP tem a esperança que dentro de poucos anos possa, depois de realizado o necessário saneamento nas audiências, que as condições de gosto de escuta dos ouvintes impuseram, voltar, com o mesmo nome de Antena 3, à companhia de vocês, ouvintes não mainstream habituais e com programação parecida, que não afugente os outros".

Se não ouvirmos isso, como sempre tenho dito, por melhores animadores que tenhas, podes subir, sim, mas não vais ter milagres. O tipo de consumo do público português é muito específico, não se coaduna muito com obrigações de serviço público. Nós não somos propriamente um povo muito letrado, assim como os espanhóis, talvez isso justifique as baixas audiências de ambos os serviços públicos, aparte de falhas brutais no marketing, mas também más decisões políticas no histórico. É preciso libertar a Antena 3. Não me preocupa tanto que no caso da 1 possam baixar nas audiências para fazer uma rádio de palavra de qualidade, porque a 1 sim, tem claras obrigações de serviço público. Mas, iria sempre fazer o caminho das pedras.
Rádio é:
Ir ao fim da Rua, a ligar Portugal, aconteça o que acontecer.
Mais música nova para sentir (e decidir).
Estar no carro, em casa, em todo o lado, só se quiseres.
Saber que se a vida tem uma música, ela passa-a.
É a arte que toca, mais do que música...PESSOAS. Ah, and all that "unique" soul.

Atento

  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 5880
Re: Antena 3
« Responder #4383 em: Julho 17, 2024, 07:33:51 pm »

E lá está... Há uma dictomia tramada. O serviço público não deve ser de nicho, mas também não deve ser banal. Se quiser 40 minutos de música sem parar, oiço uma Rádio Comercial ou uma RFM.

É aterrador ler o Top 5 das estações mais escutadas no Grande Porto. Claro que isso reflecte também o interesse do grande público em assuntos que vão para além da birra que os filhos dos animadores fizeram o fim-de-semana passado.


É verdade, mas talvez, se a Antena 3 quiser crescer em audiências, vamos ter de ouvir qualquer coisa como isto:

"A partir do próximo dia 32 de mullhembrosto a Antena 3 vai passar, durante algum tempo, a emitir uma programação diferente, em sintonia com as redes das privadas, com a designação de Macro Urbe FM. O grupo RTP tem a esperança que dentro de poucos anos possa, depois de realizado o necessário saneamento nas audiências, que as condições de gosto de escuta dos ouvintes impuseram, voltar, com o mesmo nome de Antena 3, à companhia de vocês, ouvintes não mainstream habituais e com programação parecida, que não afugente os outros".

Se não ouvirmos isso, como sempre tenho dito, por melhores animadores que tenhas, podes subir, sim, mas não vais ter milagres. O tipo de consumo do público português é muito específico, não se coaduna muito com obrigações de serviço público. Nós não somos propriamente um povo muito letrado, assim como os espanhóis, talvez isso justifique as baixas audiências de ambos os serviços públicos, aparte de falhas brutais no marketing, mas também más decisões políticas no histórico. É preciso libertar a Antena 3. Não me preocupa tanto que no caso da 1 possam baixar nas audiências para fazer uma rádio de palavra de qualidade, porque a 1 sim, tem claras obrigações de serviço público. Mas, iria sempre fazer o caminho das pedras.


E porque é que uma rádio de palavra tem de baixar nas audiências?

pdnf

  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 5458
  • Foi a Rádio que fez Abril!
Re: Antena 3
« Responder #4384 em: Julho 17, 2024, 08:16:12 pm »


E porque é que uma rádio de palavra tem de baixar nas audiências?

Porque se for bem feita, não vai atrair tantos ouvintes quanto um modelo como o que tem a Antena 1 hoje, com muita música a metro. Tem muito que ver com os níveis de escolaridade da nossa população.
Rádio é:
Ir ao fim da Rua, a ligar Portugal, aconteça o que acontecer.
Mais música nova para sentir (e decidir).
Estar no carro, em casa, em todo o lado, só se quiseres.
Saber que se a vida tem uma música, ela passa-a.
É a arte que toca, mais do que música...PESSOAS. Ah, and all that "unique" soul.

Atento

  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 5880
Re: Antena 3
« Responder #4385 em: Julho 17, 2024, 08:54:30 pm »


E porque é que uma rádio de palavra tem de baixar nas audiências?

Porque se for bem feita, não vai atrair tantos ouvintes quanto um modelo como o que tem a Antena 1 hoje, com muita música a metro. Tem muito que ver com os níveis de escolaridade da nossa população.


Os programas da Antena1 mais visitados nas plataformas digitais são todos de palavra.


Uma rádio de palavra bem feita como a France Inter, COPE,  SER, ou BBC 4, sem os complexos bastardos e os ativismos dos Desprevedores,  tem  tudo para dar certo.
« Última modificação: Julho 17, 2024, 08:56:31 pm por Atento »

O Bigode do Sala

  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 798
Re: Antena 3
« Responder #4386 em: Julho 17, 2024, 11:37:22 pm »


E porque é que uma rádio de palavra tem de baixar nas audiências?

Porque se for bem feita, não vai atrair tantos ouvintes quanto um modelo como o que tem a Antena 1 hoje, com muita música a metro. Tem muito que ver com os níveis de escolaridade da nossa população.


Os programas da Antena1 mais visitados nas plataformas digitais são todos de palavra.


Uma rádio de palavra bem feita como a France Inter, COPE,  SER, ou BBC 4, sem os complexos bastardos e os ativismos dos Desprevedores,  tem  tudo para dar certo.

Certo. Mas percebo bem o argumento do pdnf. Não querendo insultar o nosso povo, até porque temos qualidades intrínsecas que nos fazem destacar no Mundo nas mais variadas áreas, a literacia não só académica, mas financeira, política e artística não são o nosso forte.
Creio que em Espanha, os problemas ultrapassam ainda a nossa realidade. As rádios de palavra lá são o prato forte, mas creio que mormente são «palavras levadas pelo vento», sinceramente. E não só na RNE, mas também numa SER, COPE ou Onda Cero.

Sobre o facto dos programas de palavra serem os mais escutados em podcast, não nos podemos esquecer de dois factores importantes:

- Os programas musicais a pedido só estão disponíveis na RTP Play por uma questão de direitos de autor;
- As pessoas tendencialmente não procuram nas plataformas de áudio programas lineares de música. Para isso, o Spotify faz-me a papinha de escolher aquilo que o seu algorítimo pensa que eu quero ouvir. O público, nessas plataformas, procura incessantemente podcasts.
Se reitirarmos os hábitos de consumo dos mais jovens (15-24 anos), os quais procuram linguagens mais simples e extremamente informais (alguns, vazios de conteúdo), as franjas mais adultas procuram podcasts com maior qualidade sonora e de temáticas. E nisso, apesar de termos excelentes podcasts independentes pelo mundo fora, a rádio de palavra continua a ser charneira nessas duas vertentes.

Como disse várias vezes aqui no fórum, não costumo consumir a Rádio Comercial em directo, mas gosto bastante de alguns podcasts deles.
Tal como procuro em diferido alguns espaços da Rádio Observador (os Podcast Plus são claramente de serviço público) ou o Estado do Sítio e a Visão de Jogo da TSF e o Jogo de Palavra e as Novas Crónicas da Idade Mídia da Rádio Renascença.

Só tento, sempre que possível, escutar em directo os Radicais Livres e a Visão Global da Antena 1 ou a Prova Oral da Antena 3 pois devem ser os meus programas de palavra de eleição.

Isto não é o futuro da rádio de palavra, mas sim o presente!


Por fim, como cidadão e contribuinte (tal como todos nós), serei sempre um defensor de qualquer serviço público que se quer eficiente.
E dou exemplos: o já referido por mim Visão Global não é um mero programa de geopolítica. Aborda o Lado B das notícias!
Nos dias d'hoje, somos autenticamente bombardeados por paineleiros, de todos os quadrantes, que vaticinam as suas narrativas nas televisões, ou por influencers patrocionados por movimentos (alguns de cariz «bem duvidoso»).
O último Visão Global, por exemplo, noticiou a atribuição do Prémio Gulbenkian para a Humanidade aos «três pioneiros da agricultura sustentável, pela sua contribuição para a segurança alimentar, a resiliência climática e a proteção dos ecossistemas a nível global: o programa Andhra Pradesh Community Managed Natural Farming (Índia), o Professor Rattan Lal (EUA/Índia) e a plataforma de ONG’s SEKEM (Egipto)».
Sem falar das autênticas chapadas de luva branca que são as Estórias da Semana da Alice Vilaça.
Não escuta ou assiste a isto em mais lado nenhum! E isto não é ser de nicho... é serviço público!

Se acha que o que deve ser feito é concessionar o serviço público às postas como proposto no passado sob o mote das fracas audiências, não só não concordo, como prefiro que a A1 e a A3 continuem a ter audiências baixas do que recorrer ao facilitismo!
São inocentes ou alguns são maliciosos pensarem que sem uma RTP, os privados irão cumprir estes requisitos que agora falei.


E, por fim, como este tópico é sobre a Antena 3, a minha geração tem como obrigação procurar conteúdos como o da Mariana Oliveira.
Este têm é que ser «sexy» para quem anda «a navegar na Internet».
« Última modificação: Julho 17, 2024, 11:45:16 pm por O Bigode do Sala »
«O que acontece no Mundo é que toda a gente que nasce, nasce de alguma maneira poeta! Inventor de algo que não havia no Mundo antes de eles nascerem!
E inteiramente individual: cada um poeta que é!»

Agostinho da Silva

pdnf

  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 5458
  • Foi a Rádio que fez Abril!
Re: Antena 3
« Responder #4387 em: Julho 18, 2024, 02:03:38 am »


E porque é que uma rádio de palavra tem de baixar nas audiências?

Porque se for bem feita, não vai atrair tantos ouvintes quanto um modelo como o que tem a Antena 1 hoje, com muita música a metro. Tem muito que ver com os níveis de escolaridade da nossa população.


Os programas da Antena1 mais visitados nas plataformas digitais são todos de palavra.


Uma rádio de palavra bem feita como a France Inter, COPE,  SER, ou BBC 4, sem os complexos bastardos e os ativismos dos Desprevedores,  tem  tudo para dar certo.

Certo. Mas percebo bem o argumento do pdnf. Não querendo insultar o nosso povo, até porque temos qualidades intrínsecas que nos fazem destacar no Mundo nas mais variadas áreas, a literacia não só académica, mas financeira, política e artística não são o nosso forte.
Creio que em Espanha, os problemas ultrapassam ainda a nossa realidade. As rádios de palavra lá são o prato forte, mas creio que mormente são «palavras levadas pelo vento», sinceramente. E não só na RNE, mas também numa SER, COPE ou Onda Cero.

Sobre o facto dos programas de palavra serem os mais escutados em podcast, não nos podemos esquecer de dois factores importantes:

- Os programas musicais a pedido só estão disponíveis na RTP Play por uma questão de direitos de autor;
- As pessoas tendencialmente não procuram nas plataformas de áudio programas lineares de música. Para isso, o Spotify faz-me a papinha de escolher aquilo que o seu algorítimo pensa que eu quero ouvir. O público, nessas plataformas, procura incessantemente podcasts.
Se reitirarmos os hábitos de consumo dos mais jovens (15-24 anos), os quais procuram linguagens mais simples e extremamente informais (alguns, vazios de conteúdo), as franjas mais adultas procuram podcasts com maior qualidade sonora e de temáticas. E nisso, apesar de termos excelentes podcasts independentes pelo mundo fora, a rádio de palavra continua a ser charneira nessas duas vertentes.

Como disse várias vezes aqui no fórum, não costumo consumir a Rádio Comercial em directo, mas gosto bastante de alguns podcasts deles.
Tal como procuro em diferido alguns espaços da Rádio Observador (os Podcast Plus são claramente de serviço público) ou o Estado do Sítio e a Visão de Jogo da TSF e o Jogo de Palavra e as Novas Crónicas da Idade Mídia da Rádio Renascença.

Só tento, sempre que possível, escutar em directo os Radicais Livres e a Visão Global da Antena 1 ou a Prova Oral da Antena 3 pois devem ser os meus programas de palavra de eleição.

Isto não é o futuro da rádio de palavra, mas sim o presente!


Por fim, como cidadão e contribuinte (tal como todos nós), serei sempre um defensor de qualquer serviço público que se quer eficiente.
E dou exemplos: o já referido por mim Visão Global não é um mero programa de geopolítica. Aborda o Lado B das notícias!
Nos dias d'hoje, somos autenticamente bombardeados por paineleiros, de todos os quadrantes, que vaticinam as suas narrativas nas televisões, ou por influencers patrocionados por movimentos (alguns de cariz «bem duvidoso»).
O último Visão Global, por exemplo, noticiou a atribuição do Prémio Gulbenkian para a Humanidade aos «três pioneiros da agricultura sustentável, pela sua contribuição para a segurança alimentar, a resiliência climática e a proteção dos ecossistemas a nível global: o programa Andhra Pradesh Community Managed Natural Farming (Índia), o Professor Rattan Lal (EUA/Índia) e a plataforma de ONG’s SEKEM (Egipto)».
Sem falar das autênticas chapadas de luva branca que são as Estórias da Semana da Alice Vilaça.
Não escuta ou assiste a isto em mais lado nenhum! E isto não é ser de nicho... é serviço público!

Se acha que o que deve ser feito é concessionar o serviço público às postas como proposto no passado sob o mote das fracas audiências, não só não concordo, como prefiro que a A1 e a A3 continuem a ter audiências baixas do que recorrer ao facilitismo!
São inocentes ou alguns são maliciosos pensarem que sem uma RTP, os privados irão cumprir estes requisitos que agora falei.


E, por fim, como este tópico é sobre a Antena 3, a minha geração tem como obrigação procurar conteúdos como o da Mariana Oliveira.
Este têm é que ser «sexy» para quem anda «a navegar na Internet».

Acho que escreveste tudo o que quis dizer, com a tua habitual eloquência. Eu satirizei o meme do dia, o noticiário da Fóia, para expor o dilema que se apresenta à 3. E se a esta, eu até não me chocaria muito que pudessem, em termos de playlist, facilitar ainda mais um bocadinho, caindo praticamente nos géneros comerciais apenas, durante uns tempos para chamar as massas, para introduzir noutros géneros, e na palavra, segmento temático jovem no FM, no caso da Antena 1, subscrevo integralmente, nem que tenha 1%, prefiro esse 1% com qualidade do que ter 10% a andar a encher chouriços. É o mesmo argumento que se usa exatamente para a Antena 2, embora, eu aí, já tenha alguma discordância com o rumo "alternativo" que se lhe nota querer imprimir, dentro do seu género, porque, lá está, é preciso chamar pessoas à clássica. É que numa musical, podemos ter mais preocupação com as audiências, e ir moldando o gosto do ouvinte. Numa de informação e palavra, não se pode baixar nunca os standards de qualidade, pelo contrário, a fasquia tem de ser sempre mais e mais elevada. Como ouvi na visita que fiz aqui ao Mte da Virgem há 15 dias. No entretenimento as coisas devem ser excelentes, mas se falhar, acontece. Na informação, qualquer falha é imperdoável, não basta ser excelente, é preciso suplantar-se a qualidade da emissão do dia anterior.

Quanto ao site, tens total razão, um site da Mega, ou até o da Cidade, dá 10 a 0 ao da Antena 3. Há sequer uma app da Antena 3? Pois... Tudo isso pesa.
Rádio é:
Ir ao fim da Rua, a ligar Portugal, aconteça o que acontecer.
Mais música nova para sentir (e decidir).
Estar no carro, em casa, em todo o lado, só se quiseres.
Saber que se a vida tem uma música, ela passa-a.
É a arte que toca, mais do que música...PESSOAS. Ah, and all that "unique" soul.

nelsonsoares

  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 409
Re: Antena 3
« Responder #4388 em: Julho 18, 2024, 09:57:11 am »

E lá está... Há uma dictomia tramada. O serviço público não deve ser de nicho, mas também não deve ser banal. Se quiser 40 minutos de música sem parar, oiço uma Rádio Comercial ou uma RFM.

É aterrador ler o Top 5 das estações mais escutadas no Grande Porto. Claro que isso reflecte também o interesse do grande público em assuntos que vão para além da birra que os filhos dos animadores fizeram o fim-de-semana passado.

"A partir do próximo dia 32 de mullhembrosto a Antena 3 vai passar, durante algum tempo, a emitir uma programação diferente, em sintonia com as redes das privadas, com a designação de Macro Urbe FM. O grupo RTP tem a esperança que dentro de poucos anos possa, depois de realizado o necessário saneamento nas audiências, que as condições de gosto de escuta dos ouvintes impuseram, voltar, com o mesmo nome de Antena 3, à companhia de vocês, ouvintes não mainstream habituais e com programação parecida, que não afugente os outros".
Entendi a referência 😭😭😭

radiokilledtheMTVstar

  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 3608
  • "Quintão e Costa, a dupla que o povo gosta!"
Re: Antena 3
« Responder #4389 em: Julho 18, 2024, 11:07:00 am »

Acho que escreveste tudo o que quis dizer, com a tua habitual eloquência. Eu satirizei o meme do dia, o noticiário da Fóia, para expor o dilema que se apresenta à 3. E se a esta, eu até não me chocaria muito que pudessem, em termos de playlist, facilitar ainda mais um bocadinho, caindo praticamente nos géneros comerciais apenas, durante uns tempos para chamar as massas, para introduzir noutros géneros, e na palavra, segmento temático jovem no FM, no caso da Antena 1, subscrevo integralmente, nem que tenha 1%, prefiro esse 1% com qualidade do que ter 10% a andar a encher chouriços. É o mesmo argumento que se usa exatamente para a Antena 2, embora, eu aí, já tenha alguma discordância com o rumo "alternativo" que se lhe nota querer imprimir, dentro do seu género, porque, lá está, é preciso chamar pessoas à clássica. É que numa musical, podemos ter mais preocupação com as audiências, e ir moldando o gosto do ouvinte. Numa de informação e palavra, não se pode baixar nunca os standards de qualidade, pelo contrário, a fasquia tem de ser sempre mais e mais elevada. Como ouvi na visita que fiz aqui ao Mte da Virgem há 15 dias. No entretenimento as coisas devem ser excelentes, mas se falhar, acontece. Na informação, qualquer falha é imperdoável, não basta ser excelente, é preciso suplantar-se a qualidade da emissão do dia anterior.

Quanto ao site, tens total razão, um site da Mega, ou até o da Cidade, dá 10 a 0 ao da Antena 3. Há sequer uma app da Antena 3? Pois... Tudo isso pesa.

Não concordo nada que o site da Cidade esteja à frente do da 3, falta o quê? Fofocas de influencers?

De resto concordo, e também gostava de ter ouvido isso quando passei pelo Monte da Virgem há 15 dias (apenas tive direito de ver ao vivo o noticiário das 19h da Antena 1) :P
De resto, resumidamente, a 3 não está assim tão longe da realidade das rádios alternativas europeias como uma BBC 6 Music. O que estragou tudo foram estes 9 anos de tempo perdido que fizeram com que 4 redes sem cobertura nacional a passassem à frente, isso sim uma especificidade tuga.
« Última modificação: Julho 18, 2024, 11:09:13 am por radiokilledtheMTVstar »

O Bigode do Sala

  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 798
Re: Antena 3
« Responder #4390 em: Julho 18, 2024, 11:32:29 am »

Acho que escreveste tudo o que quis dizer, com a tua habitual eloquência. Eu satirizei o meme do dia, o noticiário da Fóia, para expor o dilema que se apresenta à 3. E se a esta, eu até não me chocaria muito que pudessem, em termos de playlist, facilitar ainda mais um bocadinho, caindo praticamente nos géneros comerciais apenas, durante uns tempos para chamar as massas, para introduzir noutros géneros, e na palavra, segmento temático jovem no FM, no caso da Antena 1, subscrevo integralmente, nem que tenha 1%, prefiro esse 1% com qualidade do que ter 10% a andar a encher chouriços. É o mesmo argumento que se usa exatamente para a Antena 2, embora, eu aí, já tenha alguma discordância com o rumo "alternativo" que se lhe nota querer imprimir, dentro do seu género, porque, lá está, é preciso chamar pessoas à clássica. É que numa musical, podemos ter mais preocupação com as audiências, e ir moldando o gosto do ouvinte. Numa de informação e palavra, não se pode baixar nunca os standards de qualidade, pelo contrário, a fasquia tem de ser sempre mais e mais elevada. Como ouvi na visita que fiz aqui ao Mte da Virgem há 15 dias. No entretenimento as coisas devem ser excelentes, mas se falhar, acontece. Na informação, qualquer falha é imperdoável, não basta ser excelente, é preciso suplantar-se a qualidade da emissão do dia anterior.

Quanto ao site, tens total razão, um site da Mega, ou até o da Cidade, dá 10 a 0 ao da Antena 3. Há sequer uma app da Antena 3? Pois... Tudo isso pesa.

Não concordo nada que o site da Cidade esteja à frente do da 3, falta o quê? Fofocas de influencers?

De resto concordo, e também gostava de ter ouvido isso quando passei pelo Monte da Virgem há 15 dias (apenas tive direito de ver ao vivo o noticiário das 19h da Antena 1) :P
De resto, resumidamente, a 3 não está assim tão longe da realidade das rádios alternativas europeias como uma BBC 6 Music. O que estragou tudo foram estes 9 anos de tempo perdido que fizeram com que 4 redes sem cobertura nacional a passassem à frente, isso sim uma especificidade tuga.

Também acho que o site da Cidade FM é superior à da Antena 3 (mal transversal a toda a RTP, com excepção da RTP Play, Palco e Zig Zag).
Não pelo conteúdo, mas por ser intuitivo e chamativo ao toque/clique.

Sobre a última parte do comentário, tudo dito. Se bem que de Outubro 2015 a 2017, aí sim tínhamos uma BBC 6 Music pura e dura. De Abril para cá, estamos ainda naquele limbo entre jovem, pop e alternativo, o que não é particularmente mau se for bem afinado. A nossa A3 é imensamente superior a uma Radio 3 ou a uma Le Mouv (que tem um site muito interessante, podia ser uma inspiração Sr. Nuno Reis!) e isso tem que ser enaltecido.
« Última modificação: Julho 18, 2024, 11:35:27 am por O Bigode do Sala »
«O que acontece no Mundo é que toda a gente que nasce, nasce de alguma maneira poeta! Inventor de algo que não havia no Mundo antes de eles nascerem!
E inteiramente individual: cada um poeta que é!»

Agostinho da Silva

pdnf

  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 5458
  • Foi a Rádio que fez Abril!
Re: Antena 3
« Responder #4391 em: Julho 18, 2024, 12:27:19 pm »
Não concordo nada que o site da Cidade esteja à frente do da 3, falta o quê? Fofocas de influencers?
Tal como disse o OBdS é mesmo nessa questão de atratividade ao click, cores mais garridas, e a 3 até tem o laranja como base que dá muito potencial de trabalho. Percebo, seguem a lógica da estrutura da RTP. Mas olha que se queres chamar público, o clickbait não é uma má estratégia, por muito que considere alguns sites absolutamente redutores em termos de conteúdo. Depende se queres alargar mais a malha e ser uma rádio under 35, que seja catch all, ou se ficas por um nicho.
Rádio é:
Ir ao fim da Rua, a ligar Portugal, aconteça o que acontecer.
Mais música nova para sentir (e decidir).
Estar no carro, em casa, em todo o lado, só se quiseres.
Saber que se a vida tem uma música, ela passa-a.
É a arte que toca, mais do que música...PESSOAS. Ah, and all that "unique" soul.